25 de set de 2011

Mondo Cane - Rock In Rio Análise


Como vocês sabem, não consegui degustar o show do Mike Patton como deveria por causa do calor infernal, barulhos irritantes, A má transmissão do Multishow que cortou o show com 4 músicas antes do fim, o estresse causado pelo show do NX Zero que estava tocando aqui em casa no volume máximo, ou seja foi um caos.

Nota: 9,5 *********1/2

Esse foi até agora o melhor show do Rock In Rio, e só perdeu pontos por causa do barulho causado pela apresentação do maldito Stone Sour, que atrapalhou a audição do show, mas mesmo assim Mike Patton soube tirar proveito da situação mandando eles (Stone Sour) calarem a boca.

O Mike Patton despejou carisma nesse show, e não é só isso, pois ao contrário do show da Katy Perry que era 90% de carisma e os outros 10% de música, o show do Mike Patton foi acompanhado de excelente música e um vocalista bem versatil.

Eu nunca tinha visto um vocalista que usasse tantas técnicas vocais variadas dentro de um único show como o Mike Patton fez, os graves eram vigorosos e com um pouco de sujeira para colorir o timbre, o registro agudo era bem competente, mas sem excessos. O fraseado era veloz e elegante, e não deixaram-me perceber alguns deslizes no Italiano do senhor.

No registro central foi magnifico! o timbre é bem flexível e com um leque bem grande de cores para serem exploradas, o que realça sua interpretação que roça o divino! Mike Patton explora o falsete de uma forma incrível, sem excessos ele mostra que o falsete pode ser uma técnica vocal crédivel para enriquecer uma canção.

A sujeira dava cor as músicas, não sendo de modo algum algo prejudicial, e o seu rasgado me pegou de surpresa, mostrando-me o quão incrível é esse vocalista, pois você acha que é fácil ficar mudando de técnica vocal assim, sem desafinar nada? Veja ai um belo rasgado do senhor Mike Patton, mas a canção em que ele mais usou esse artificio foi "Urlo Negro"


Tá eu sei que a qualidade da imagem e som não é lá essas coisas, mas dá para curtir certo?

A Orquestra de Heliopólis foi magistral, carismatica e bem competentente na releitura das músicas, e as vezes injetando um pouco mais de peso nas canções. O solo de clarineta acima foi um dos vários destaques instrumentais da noite, e tem também o coral de que se saiu muito bem nos backing vocals.

Eu não consegui ouvir todas as músicas por causa da maldita transmissão do Multishow, que cortou o show antes do fim, pelo youtube eu vi as duas últimas músicas oficiais, mas o cara ainda deu um Bis, que não pude assistir. Mas só isso está de bom tamanho para confirmar o quanto esse show foi bom.

Fiquem ai com a minha música preferida do Mondo Cane: "Deep Deep Down"

Nenhum comentário:

Postar um comentário