23 de set de 2011

Katy Perry - Rock In Rio Análise


Pois é gente, eu acabei assistindo todo o show da cantora Pop Katy Perry, e posso dizer, que não me arrependo nada disso, pois o show tem alguns destaques bem interessantes que serão comentados nessa resenha.

Nota: 7,5 *******1/2

O show da Katy Perry como o de todas as grandes cantoras pop apresenta uma grandiosa produção, que entretém em boa parte das músicas. O cenário escolhido pela Katy Perry foi o de uma "Candyland", que faz uma analogia ao clipe de "California Gurls".

Ela já começa incendiando, o carisma para esses cantores é uma coisa extremamente necessária, já que as músicas não são o destaque. Eu só peguei o show a partir da pavorosa "Peacook", que apesar de ser melhor ao vivo, que em estúdio, a canção permanece insuportável. Legal mesmo foi a interação dela com o publico antes do hit "I Kissed A Girl" aonde ela chama um tal de Júlio ao palco, e esse cara ainda consegue ganhar e  roubar um beijo da Katy Perry, como esse vídeo mostra:


A canção ganhou uma introdução mais calcado no Jazz, o que a tornou um pouco mais charmosa. Depois disso cantou duas músicas mais dançantes, a desconhecida "Circle The Drained" e a já conhecida "ET".

Hora da analise vocal da Katy Perry, que nesse show optou por não usar nenhum tipo de Playback, e se apoiar no coral de garotas vestidas de "Candygirls", que ficam atrás dela fazendo backing vocal, e as vezes assumem o papel principal, para que a cantora possa armar suas peripercias. A Katy tem uma voz bem aveludada e um timbre bonito, o que faz com que seu canto seja o mais agradável possível, por outro lado, ela sofre de  problemas de afinação.

A cantora tem dificuldades de alcançar notas agudas quando canta em tons mais altos, talvez isso se deva a sua respiração, que não é bem feita, o que acaba prejudicando-a na hora dos tons mais altos. Quando ela canta em tons mais baixos ela não tem muitos problemas, como em uma balada fofinha, onde ela apresentou uma voz segura, deixando seu belo timbre fluir sem problemas.

O Coral é o segredo da cantora para evitar problemas maiores na hora das notas altas, e também os problemas na hora das coreografias malucas que ela executa em palco. No registro central a cantora se destaca executando com perfeição suas canções.

A interpretação é bem animada, e ainda tem para complementar a interpretação, as belas coreografias e vestidos que a cantora usa, como na "Hot N Cold" onde ela muda de roupa como se fosse mágica.

Intervalo

O Intervalo do show da Katy Perry, foi uma das piores coisas que eu já presenciei na minha vida. Coreografias broxantes, bateria de Carnaval, e aqueles cantores de quinta categoria enchendo a paciência.

Bis

Last Friday Night: Essa é uma das poucas músicas da Katy Perry que me agradam, e a performance dela foi muito boa, já que ela não exige nada demais da Katy, o único disparate meu em relação a essa performance foi o solo de sintetizador (na versão original ele é feito por um saxofone).

Firework: O Publico implorou por essa canção desde o inicio do show, e espertamente a cantora a deixou para o bis. A performance dela não foi tão boa quanto esperado, pois a cantora apresentou uma sujeira em alguns trechos do refrão sendo ajudada pelo coral. Mas a interpretação da música é tão boa e contagiante, que o problema anterior não me incomodou.

Obs: As únicas músicas que eu gosto da Katy são essas duas que ela escolheu para o Bis.

California Gurls: Quando eu pensei, que o show tinha encerrado a Katy emenda o seu clássico levando o publico ao delírio, principalmente na parte onde ela pula na plateia e joga doce na cara da primeira fila. Assim como em Firework, a cantora se apoia muito no coral para poder fazer essas "loucuras", mas cantou sem problemas a outra e principalmente essa, que quase não exige nada dela.

Conclusão

Apesar de não ser fã da Katy Perry, já que gosto de apenas duas músicas da mesma, devo admitir que seu show é bem legal e energético, sendo que ela sabe muito bem como envolver sua plateia com seu carisma. O show dela tem uma atmosfera bem infato-juvenil beirando até o ridículo, mas a questão é que para se curtir um show dela, você deve entrar no jogo dela e se envolver com a temática do show, assim como em um show do Manowar.

Katy é uma cantora credível, só que tem um repertório bem fraquinho onde apenas duas músicas e trechos de outras entusiasmam o autor. As canções são bem rasinhas portanto são facilmente assimiladas pelo publico debilóide atual, o que é uma pena, pois com um repertório mais decente a cantora poderia fazer misérias no palco.

Ela se destaca principalmente pela sua performance "amulacada" no palco, e ainda que cante bem, precisa corrigir alguns erros, mas creio que isso não seja problema, afinal de contas a moça só tem 26 anos, e ainda tem ao seu favor um timbre tão cremoso e agradável quanto uma fatia de bolo de morango.

As músicas da Katy ficam melhores ao vivo, principalmente pelo pouco destaque que as batidas ganham, já que são normalmente substituidas por sintetizadores, guitarra e bateria o que tornou até a "Hot N' Cold" mais interessante.

Um show bem divertido, mas que com um repertório melhor se destacaria muito mais,

Nenhum comentário:

Postar um comentário