12 de set de 2011

Árias Famosas Parte 1

Nessa nova coluna vou colocar árias bem famosas, para que os iniciantes as conheçam, e quem sabe alguém se interessa.

Vamos começar com a conhecidissima "O Mio Babbino Caro" da trilogia operística "Il Trittico" (Gianni Schicchi) de Puccini. Essa ária é tão manjada, que foi difícil escolher a interprete ideal para essa música, mas penso eu, que essa ária ficaria bem servida com uma Soprano puramente "Lírica" como Mirella Freni, uma das maiores interpretes de Puccini.



Agora vamos seguir com a maravilhosa "Dove Sono" da Ópera "As Bodas De Figaro" de Mozart em parceria com o mítico libretista Lorenzo Da Ponte. Queria mostrar a Fleming cantando essa ária, por causa da sua belíssima voz, mas a gravação do vídeo é horrível, e apesar da Fleming estar estupenda, os chiados incomodam muito.  Para compensar isso, decidi mostrar a Kiri Te Kanawa que também  tem uma voz lindíssima e cremosa, e é considerada uma das maiores "Condessa" da história.


A próxima ária é tão conhecida que se eu brincar, todo mundo saca qual é. Por isso só vou dar algumas informações técnicas, dizendo que ela se chama "Largo Al Factotum" (Apesar de todo mundo conhecer a música, ninguém lembra o nome).  Foi composta por Rossini, que foi um dos precursores do Belcanto italiano (Belcanto é um estilo que se destaca pelo virtuosismo do interprete).



Vou mostrar outra ária de Mozart, que também é relativamente famosa. Estamos falando da famosa "Der Hölle Rache..." que é uma das árias da "Rainha Da Noite", personagem da ópera "A Flauta Mágica ou Die Zauberflöte.

Lembro que me apaixonei por essa ária por causa da música "Leaden Legacy" do After Forever onde a Floor Jansen aplica essa mesma técnica no refrão (o nome da técnica é Staccato). A ária será interpretada pela Soprano lírico-leggero Diana Damrau, que é uma excelsa interprete das heroínas Mozartianas, como atesta esse bélissimo registro



Obs: Agora que você já viu o vídeo, a ária pertence a ópera "Barbeiro de Sevilha" e o nome do personagem é Figaro. (refiro-me ao vídeo passado).

A próxima ária é mais famosa para os italianos do que seu próprio hino, sim falo da ária "Celeste Aída" da ópera Aída de Verdi. Luciano Pavarotti é um dos maiores Radamés da história, e também o tenor mais famoso da história, e é dele a interpretação da ária:


Vamos de Carmen agora com a ária "Habanera" interpretada pela Mezzo espanhola, Teresa Berganza que é uma das maiores "Carmens" da história, sendo ladeada apenas pela Maria Callas (opinião pessoal).
Carmen é uma ópera Francesa composta por Bizet pouco antes de sua morte.


A próxima ária é a mundialmente conhecida "Nessun Dorma"´da ópera Turandot que foi composta em parte por Puccini (já que se trata de um obra póstuma) e outra parte por Franco Alfano. Para ilustrar essa ária não vou colocar aquele vídeo picareta do "Paul Potts" que corta boa parte da ária, e nem a dos três tenores, apesar de ser uma das minhas versões preferidas. Para ilustrar mostrarei o celebre Franco Corelli que junto com "Nilsson" celebrizou essa ópera.


http://www.youtube.com/watch?v=uUkTKAg7HHM&ob=av2e (está aqui o link que queria colocar, mas algo me impediu. Qualquer problema com esse vídeo, acessem esse link.)


E a próxima também vem de Turandot, colocarei a agora a ária da Rainha Turandot interpretada pelo excelente Soprano Drámatico Birgit Nilsson que como já foi dito antes é uma das maiores interpretes desta ópera. A ária é "In Questa Reggia" que foi muito bem cantada por Nilsson, que aproveita muito bem o fato dessa ópera ter sido escrito para Sopranos Drámaticas (coisa rara no popular Verismo Pucciniano), celebrizando sua Turandot na maior casa de ópera do mundo (O Met).



A próxima ária é a lindíssima "Sí, Mi Chiamano Mimí" interpretada pela bela soprano russa Anna Netrebko, que tem aqui uma atuação apaixonante, Belíssima e digna de vários aplausos. Sem dúvidas uma das melhores "Mimís" da história, ouça e arrepie-se com seus agudos estratosfericos.


Para fechar esse bloco brindo vocês como o "A Cavalgada Das Valquírias" da ópera "Die Walküre" de Richard Wagner. Uma das canções mais épicas da história da ópera.

6 comentários:

  1. Embora não seja um conhecedor profundo do canto lírico, sou apaixonado por essas belas árias.
    Infelizmente no Brasil, a medíocridade cultural é que prevalece,e hoje até o funk é considerado movimento cultural.

    ResponderExcluir
  2. Eu também sou um apaixonado por canto lírico. O Funk carioca é um movimento cultural de fato, entretanto isso não quer dizer que o mesmo seja bom.

    As pessoas confundem cultura com coisa boa e eles não são a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  3. Excelente compilação de Arias. eu estava procurando uma e não lembrava o nome, achei aqui.

    ResponderExcluir
  4. Deveriam fazer um bloco das que aparecem em filmes. Gostaria de saber o nome da que é interpretada em O Quinto Elemento. Obrigado.

    ResponderExcluir
  5. Ária: Oh, giusto cielo!...Il dolce suono
    Ópera: Lucia di Lammermoor
    Compositor: Gaetano Donizetti
    Interprete em "The Fifth Element": Inva Mula

    ResponderExcluir
  6. Só lembrando que uma ária não precisa necessariamente estar dentro de uma ópera. E que quando duas pessoas cantam forma um duo e não mais ária....
    Ópera Turandot (G.Puccini) - Nessun dorma
    ópera Nabuco (Verdi) Va Pensiero
    Ópera Rigoleto (Verdi) - La Dona è Mobile
    ópera La Boheme (Puccini) - Che Gelida Manina
    Ópera AINDA.. Ária “celeste ainda” de Verdi
    opera Gianni Schichi - Ária “o mio babbino caro” de Puccini
    opera Pagliacci - Ária “Vesti la giubba” de Leoncavallo
    Opera Magic Flute. ária “Queen of the Night” de Mozart
    Opera Latraviata – ária “Brindisi” de Verdi
    Opera Carmem – ária L’amour est un oiseau rebelle de Georges Bizet
    Opera DER RING DES NIBELUNGEN - ária “Walkürenritt” de Wagner
    Opera IL BARBIERE DI SIVIGLIA – aria “Largo al factotum”; de rossini
    Opera IL BARBIERE DI SIVIGLIA – aria “figaro”; de Rossini
    Opera carmem, ária “ habanera” de Bizet


    Ária “Ave Maria” de Schubert. Não é de uma ópera mas é quase: foi feita juntamente com outras que formam um conjunto de peças sobre um poema épico que ele interpretou.

    Indico ainda outras músicas árias sem serem de óperas: Por exemplo
    “ o sole mio” é uma musica de 1898 de estilo napolitano mas não foi inserida em óperas mas certamente é uma ária.

    “ Caruso” mesmo sendo moderna, quando interpretada por tenores tb confunde-se com ária....feita nos anos 1980 apesar de não ser antiga é em homenagem ao tenor Caruso, considerado o melhor do mundo de todos os tempos. ( eu discordo, prefiro Pavarotti)

    “cinema paradiso “ foi uma ária moderna e bonita deste filme, tb há versão apenas instrumental

    E indico as seguintes versões e interpretes para musicas: ( basta digitar no youtube):

    Pavarotti: “veste La giubba”... mario Lanza tb fez uma versão bela desta ária
    Pavarotti: “Caruso”
    Pavarotti: “nessun dorma”

    Paul potts: “nessun dorma”
    Paul potts “cinema paradise”

    Amira Willighagen e André Rieu “o mio babbino caro”
    Amira Willighagen “ ave Maria”
    Amira Willighagen - "O Sole Mio" com Paul Potts
    Maria Cristina Cracium “ Caruso”

    E para quem curte ópera vocal misturado com pop vocal em dueto, indico:
    Paul potts e kanon “ time to say good bye”
    Jonathan & Charlotte – “The Prayer”
    Freddie Mercury and Monserrat Caballe – “How Can I Go On”

    E aqui no brasil tb tivemos um compositor de 1894 - Vicente Celestino que compôs árias baseadas nas italianas. A mais famosa foi regravada por:
    Agnaldo Rayol: “Mia Gioconda”

    ResponderExcluir