28 de jun de 2011

Bandas e Artistas recomendados

Ei! Você mesmo! É você aí com a camisa do Cannibal Corpse ouvindo e berrando  Hammer Smashed Face! É o seguinte, tenho um recado pra você: Perto do Vital Remains você não passa de um maricas pouser de merda!!! Isso mesmo!!! Quer Brutal Death Metal de verdade?!? Da uma escutada nesses caras dos EUA que fazem um som muito MUITO pesado que você vai ter um motivo pra bater cabeça até cair o pescoço.


Essa o Rubens desenterrou! Tinha esquecido desses monstros! Cacophony foi uma banda americana de metal neoclássico formada pelos gênios Marty Friedman (Ex-Megadeth!!!) e Jason Becker (que mais tarde foi acometido por uma doença no cérebro que aos poucos o fez perder os movimentos do corpo)


Mindflow é uma banda brazuca que faz um progressive bem criativo,original, pesado,técnico e melódico. Eles já estão na ativa a um tempinho, mas só agora estão saindo do underground.

Mais uma brazuca pra fechar com chave de ouro esse post! Tribuzy faz um heavy/thrash/power/prog muito foda, é  a atual banda do fodástico vocalista Renato Tribuzy

27 de jun de 2011

Discos para começar a ouvir Power Metal parte 2

A banda que você vai escutar depende de qual estilo você gostou mais, se foi Helloween você vai escutar Edguy, se você gostou mais do Stratovarius escute Sonata Arctica

Edguy foi uma banda acusada de copiar na cara de pau o Helloween pelos headbangers acéfalos, mas a verdade é que o som do Edguy inicialmente é um Power Metal Sinfônico (mas não tanto), que não faz uso de teclados.

Theater Of Salvation é um disco de fácil audição, e as música são muito empolgantes. Esse é na minha opinião o disco mais Power Metal do grupo, o que vai mudar nos discos seguintes

O disco subsequente a esse, o excelente Mandrake apresentava pitadas de Hard Rock que só foram aumentando com o passar do tempo

Escute esse disco da foto + Mandrake.


Muitos dizem que o Sonata Arctica é uma fusão entre Nightwish e Stratovarius, o que talvez seja verdade já que suas músicas são tão bonitas quanto as do Nightwish e o seu estilo lembra muito o Stratovarius.

Tony Kakko é um vocalista diferenciado e todos os outros músicos são muito talentos. Tony não canta tão agudo quanto os seus colegas, e brilha devido ao seu belo timbre.

Ecliptica é o melhor disco do Sonata Arctica, e tem tudo para surpreender os ouvintes de mente aberta que não ligam para essa palhaçada de que a banda só presta se inovar.

"Replica" é uma balada maravilhosa.

Depois de ter ouvido uma das duas bandas indicadas você parte para o Hammerfall, que eu demorei muito a indicar, mas é porque tem tantas boas que as vezes eu me perco.

O Som do Hammerfall é um Heavy Metal clássico com elementos de Power Metal que aparece mais nas letras da banda do que  no som.

Esse disco do Hammerfall tem um punhado de faixas muito boas, e como você deve perceber a essência Power Metal da banda está no vocal, já que Joacim Cans tem um timbre bem voltado para o gênero

Eu tenho esse disco na minha coleção.

Todo mundo fala que o segundo disco do Hammerfall é o melhor da banda, mas isso eu não posso confirma, já que esse é um disco que eu nunca escutei devido as minhas esperanças de compra-lo.

E eu odeio comprar discos que eu já ouvi, e escutar discos quando você compra é muito mais emocionante. Bom o Hammerfall não mudou nada de um disco para o outro, alias não mudou nada até hoje.

Então você escuta esses dois discos e parte para a próxima banda que será indicada na próxima parte.

26 de jun de 2011

Discos para começar a ouvir Power Metal parte 1

Siga a ordem das indicações

O Helloween era só mais um grupo de Heavy Metal até que Kai Hansen se cansou de tocar guitarra e cantar ao mesmo tempo, e convidou um jovem vocalista alemão para participar da banda

Após a entrada de Michael Kiske o grupo gravou dois discos que são considerados clássicos do Heavy Metal, e são lembrados até por gente que não curte o estilo (EUA)

Os dois Keppers são a base do genero, que no futuro foi ganhando novos temperos

Depois da saída de Kiske, entrou Andi Deris um vocalista de mão cheia no gênero Hard Rock, mas que peca no estilo melódico do Helloween. Ainda sim gosto dele.


As vezes eu fico imaginando o quanto o Helloween seria grande se não tivesse tido tantos problemas, e se Kai Hansen e Kiske não tivessem saídos.

Enfim, Kai Hansen abandonou o Helloween por causa das longas turnês e provavelmente por causa do mal clima do grupo. Depois de um tempo Kai fundou o Gamma Ray.

No inicio o som do Gamma Ray era um Heavy Metal com pitadas de Hard Rock e até hoje o som da banda é assim. Nos primeiros discos Ralf Scheepers cantava na banda, mas com expectativa de integrar o Judas Priest abandonou o grupo.

Land Of The Free é o primeiro e único disco 100% Power Metal do Gamma Ray, e também é o primeiro a contar com Kai nos vocais.


 Observação

O objetivo desse texto é mostra o caminho que deve ser percorrido para se gostar do genero melódico, entretanto, diferentemente do que a maioria sugere, o objetivo do texto não é citar um disco de cada banda, e sim citar um caminho que na minha visão é ideal para um "Powerbanger" iniciante.

Infelizmente as duas primeiras bandas não apresentam bem meu ponto de vista, já que os discos indicados são muito óbvios e não exigem que seja criado toda uma corrente para curtir o grupo. Os Keepers são discos que obviamente seriam indicados por serem pilares do genero, e Land Of The Free é o único disco 100% Power Metal do grupo.

Se preparem, pois a partir daqui as coisas serão diferentes.


Stratovarius foi uma banda tão importante e precursora quanto o já citado Helloween. A banda no inicio era um Prog Metal que foi ficando cada vez mais melódico.

Fourth Dimension é o disco que inicia a fase Power Metal do grupo, e a entrada de Timo Kotipelto contribuiu muito para isso já que seu timbre e voz lembram é muito o gênero.

O Stratovarius pegou o Metal Neoclássico e o fundiu com o Power Metal, e para efetivar essa tendência o tecladista do Yngwie Malmsteen (O Precursor do Metal Neoclássico), Jens Johasson se uniu ao grupo.



 O Stratovarius foi uma das primeiras bandas a colocar o teclado em primeiro plano e adicionar sinfonias provindas da música clássica no genero.


O Magnum Opus da Banda é o disco Visions, mas considero que a trinca Fourth Dimension, Episode e Visions  explicam o porque do Stratovarius ser uma das maiores bandas de Power Metal, e são essenciais
O Disco Fourth Dimension é o inicio de tudo, e a base para se entender o que se segue. 
O disco Episode é mais sério que o outro e por isso sofre algumas críticas, mas na minha opinião ele é um dos melhores do Stratovarius, e é nele que Jens Johasson Debuta.
O Disco Visions é o Stratovarius em seu melhor nível, é aquele disco que te conquista já na primeira audição e parece que nunca mais vai te deixar.
Recomendo os três

25 de jun de 2011

Minha Paixão Por Vocais Agudos

Porque vocês acham que eu gosto tanto de Power Metal? e de mulheres nos vocais? o principal motivo é o vocal, e que quanto mais agudo e potente for, melhor.

Pode parecer estranho para você, mas eu adoro esse virtuosismo por parte dos cantores de Heavy Metal e Opera, que com seus agudos me conquistam facilmente.

Para ficar claro, o fato de eu gostar de vocais agudos não faz com que eu não goste de vocais brutais como os guturais ou até vocais limpos, tão comuns hoje em dia.

Eu normalmente avalio os cantores em 3 quesitos: Alcance, Interpretação e Timbre, analisando friamente esses quesitos eu digo se o vocalista é bom ou não e porque. Não tem um mais importante que os outros, todos são muito importantes, pois em alguns casos um depende do outro.

Bom voltando a falar sobre os vocais agudos, eles são típicos do Heavy Metal tanto o clássico quanto o melódico, e aparecem até no Hard Rock. Fiquem com alguns exemplos:

Power Metal: Tobias Sammet, Kai Hansen, Michael Kiske, Andre Matos, Timo Kotipelto, Jorn Lande, Ralf Scheepers, Michael Luppi...

Symphonic Metal: basicamente todas.

Heavy Metal: Dio, Bruce Dickinson, Rob Halford, Dani Nolden, Eric Adams, Udo, Ian Gillian, Detonator

Hard Rock: Sebastian Bach, David Coverdale, Robert Plant, Paul Stanley, David Lee Roth

Isso foi só para destacar os com vozes mais agudas, pois há muitos outros, a serem citados. E não pensem que os agudos se restringem apenas a vertente melódica e a clássica, pois elas está presente também em generos como o: Black Metal, Melodic Death Metal e principalmente no Thrash Metal onde temos aqueles gritinhos agudos. O que! como? o que tem de agudo no Black Metal?

Simples os vocais urrados as vezes ficam mais rasgados ou estridentes destacando os agudos dos músicos, ou voce acha que só porque alguém tem voz grave, ela não possua agudos? se você acha que sim está completamente enganado. Se um cantor quer cantar rasgado qual dos registros você acha que ele escolhe? se ele escolher o grave ele vai acabar cantando tudo em gutural ou na pior das hipóteses, ele falha brutalmente.

O registro agudo feminino está intimamente ligado a Opera, enquanto que o vocal agudo masculino está ligado ao Heavy Metal, e eu não sei o porque disso, mas os tenores da Opera quase não mostram seus agudos e as sopranos do Heavy Metal usam apenas 1/3 da sua real capacidade na hora do canto lírico.

Mas isso é uma escolha acertada, pois o vocal agudo masculino é mais feroz e potente, e ia parecer estranho um Tenor cantar com tamanha agressividade e largar os graves. E o mesmo vale para as sopranos que iriam destoar muito se cantassem como uma cantora de opera de verdade, já que se você conhece o genero, sabe que quando a soprano entra a orquestra diminui de volume e fica quase inexistente.

O vocal agudo é uma coisa potente e destruidora podendo ser também fofo,feliz e intenso. E essa sua habilidade de representar diversos estados de espírito que me agrada tanto, vocais como Kiske e Andre Matos conseguem colocar uma nota de feeling incrível em apenas uma nota aguda.

Vocais como Sammet e Kiske conseguem fazer agudos que passam mensagens divertidas, que eu chamo de Happy Metal que pode ser observado em músicas fofas como: "Dr Stein e "Lavatory Love Machine".  Existem também os agudos mais sujos vindos do Hard Rock que também passam a sensação de festa ou de sofrimento amoroso, entre eles destaco David Lee Roth, Coverdale e Sebastian Bach.

Atuações De Destaque

Carlos Zema:  Warcry (Outworld)
Andre Matos:  Fire (Dr Sin)
Michael Kiske:  Eagle Fly Free (Helloween)
Tobias Sammet:  Reach Out For The Light (Avantasia)
Floor Jansen:  Leaden Legacy (After Forever)
Heidi:  Arctica (Amberian Dawn)
Angela Gheorghiu:  Casta Diva (Bellini)
Simone Simons:  Tides Of Time (Epica)
Bruce Dickinson:  The Duellists (Iron Maiden)
Rob Halford:  Painkiller (Judas Priest)
Tarja Turunen: Sleeping Sun (Nightwish)
Detonator: The Mummy (Massacration)

Até a próxima.

23 de jun de 2011

Clássicos Do Metal: The Metal Opera (Avantasia)

Tobias Sammet é um prodígio do Power Metal, e ele aos 21 anos compôs uma das maiores obras primas do gênero ao lado de gigantes em um projeto paralelo chamado Avantasia.

O Disco é uma obra-prima do Power Metal e reúne nele nomes de peso como os vocalistas: Kiske, Andre Matos, Kai Hansen, David De Feis, Sharon Den Adel e outros muito bons que não me vem a mente.

A banda de apoio era Henjo e Jens nas guitarras, Alex Holzwarth do Rhapsody na Bateria, o baixista do Helloween Markus, e o próprio Tobias Sammet nos teclados e vocais da banda.

As composições aqui são de primeira categoria, e mostram a genialidade de Tobias Sammet, um cara que eu ignorava devido a sua má fama no cenário heavy metal, mas que nesse disco prova ser um dos melhores vocalistas do gênero.

O disco já abre com dois petardo do Speed Metal melódico; "Reach Out For The Light" e "Serpents In Paradise" que mostra duetos poderosos entre Tobias e Kiske Ou David (na sequência exata). Depois de uma pequena pausa vem mais um clássico a poderosa "Breaking Away" uma das melhores participações do Kiske no disco.

O disco dá uma pequena acalmada em "Farewell" que é uma "mezzo balada" que conta com a participação da Sharon Den Adel e sua linda voz. Depois dela vem a bombástica "The Glory Of Rome" que conta com mais vocais na linha Heavy Metal.

Temos ainda o hino "Avantasia" que desde então é uma das minhas musicas preferidas. Pausa para a baladinha "Inside" cantada por dois monstros do gênero; Andre Matos e Kai Hansen, que voltam a aparecer com destaque no hino "Sign Of The Cross" que conta com a participação Andre Matos, Kai Hansen, Tobias Sammet e Rob Rock.

O disco fecha com a magnifica "The Tower" uma música onde os cantores interpretam os papeis intensamente, e nessa música pode ser ouvida a voz de Timo Tolkki.  Você percebeu que eu nem mencionei o instrumental, pois não é necessário, mas só para constar todos os músicos se saem maravilhosamente bem.

Um Clássico definitivo

Nota: 10 **********

20 de jun de 2011

Arch Enemy - Tyrants Of The Rising Sun

O Arch Enemy havia acabado de lançar o incrível "Rise Of The Tyrant", E para registrar essa excelente turnê foi gravado um DVD.

Rise Of Tyrant é possivelmente o melhor disco lançado pelo grupo sueco pau a pau com o registro de 2003, nele o grupo sueco se mostra inspiradissimo nas composições e Angela esbanja competência nas músicas

Falando em Angela, ela tem uma atuação soberba, executando todas as músicas perfeitamente, desmontando os argumentos dos críticos retardados de plantão.

Angela continua com o seu gutural que varia entre o rasgado e o grave bem cheio. Sua interpretação é muito boa ainda que o setlist não privilegie isso deixando faltar músicas como "My Apocalypse" e "Diva Satanica" que se destacam pelo virtuosismo vocal da interprete

A dupla Ammot desfila riffs e solos com uma incrível precisão chegando a ponto de humilhar com tamanha calma na execução dos mesmos. O Batera Daniel e o Baixista Sharlee atuam de forma energética aumentando o peso das composições de uma forma que evita que eles apareçam como coadjuvantes.

O repertório é muito bom e inclui clássicos como "Ravenous", "Nemesis", "We Will Rise", "Shadows And Dust" e ainda incluíram clássicos pré Angela como:"Dark Insanity" que é um destaque do DVD, e "Silverwing" pecando apenas pela falta de Diva Satanica.  Do disco novo foram executadas 4 músicas sendo que "Vultures" aparece como o destaque absoluto, poucas vezes vi um música tão bem executada ao vivo.

O Publico Japonês abandonou a frieza tradicional e se mostrou muito participativo no show do grupo, principalmente em Nemesis. A performance dos guitarristas é uma das melhores que eu já assisti, logicamente que o repertório ajuda e eles ainda tocam 2 solos no setlist.

O DVD peca apenas pela falta de Legenda o que me impede de ver o documentário, tirando isso temos mais um registro ao vivo soberbo do Arch Enemy. Valeu cada centavo

Nota: 9,5 *********1/2 (Show)
Nota: 5,0 (Documentário)

Kairos (2011)



Banda: Sepultura
País: Brasil
Data de Lançamento: 17 de Junho de 2011

Sepultura é uma banda... po espera ae... eu não preciso fazer introdução pra apresentar esses caras! Se você esta no Metal Guide e não conhece Sepultura então você chegou aqui procurando pelo manual de instruções de alguma coisa num google da vida, conhecer esses caras é sua obrigação como metalhead brasileiro !!! 

Depois uma longa fase "fraca" após a saída dos irmãos Cavalera aos poucos Sepultura foi ganhando sua nova forma até que surge o grande Kairos!!! Posso afirmar que é o melhor cd da era Derrick sem dúvida, o album começa com Spectrum e Kairos, que foi o primeiro single, elas tem um pouco da pegada daquele Sepultura pós-Beneath The Remains (CLÁSSICO ABSOLUTO), Spectrum tem uma pegada mais lenta com riffs simples (que por falar nisso predominam o cd) e Kairos da umas aceleradas e tem um puta refrão com Derrick mostrando que também é professor na arte do berro.

O play segue com Relentless que tem velocidade, peso e resgata aqueles solos clássicos que o Mr. Andreas Kisser estava devendo a uns anos já, por falar em solos o Andreas fode tudo no cd! Deve ter mais de 10 anos que o Sepultura não fazia solos Thrasher's, logo em seguida vem Just One fix cover da banda Ministry e Dialog que seguem quase a mesma linha, a primeira eu não destaco nada, não me atraiu muito e ainda por cima é cover, agora Dialog é foda com uns climas de suspense alternando com os refrões pesados, Derrick manda muito bem durante todo o cd é a verdade, e a bateria do Jean também é foderosa com passagens que lembram música tribal muito bem feitas. 

Mask, Seethe e Born Strong mantém a Thrashera de sempre porrada sem parar!!! Embrace The Storm também mantém o nível das três porém é a que mais me chamou atenção dessas 4 últimas faixas... ela tem os riffs mais "trabalhados" ou "menos simples" do que as outras, na sequência final vem No One Will Stand que me lembrou um pouco a atmosfera do Beneath The Remains, e pra fechar Structure Violence com uma cara bem experimental e umas citações em português sobre política.

É gente, o Sepultura voltou... como toda banda da grande após se desvirtuar acaba fazendo um cd de volta as Roots (trocadilho XD se não entendeu bota roots no google tradutor) e eles conseguiram isso sem tirar a roupagem moderna das músicas destaque pra todos os integrantes da banda principalmente Derrick que mostrou que ele não é um substituto, mostrou que ele é foda, só não posso falar nada do Paulo Jr porque mais uma vez eu não escutei nada do que ele faz XD, eu já comprei o meu Kairos original na pré-venda recomendo demais !!!

Tracklist:

1."Spectrum" 4:03
2."Kairos" 3:37
3."Relentless" 3:36
4."2011" 0:30
5."Just One Fix (Ministry cover)" 3:33
6."Dialog" 4:57
7."Mask" 4:31
8."1433" 0:31
9."Seethe" 2:27
10."Born Strong" 4:40
11."Embrace the Storm" 3:32
12."5772" 0:29
13."No One Will Stand" 3:17
14."Structure Violence (Azzes)" 5:39
15."4648" 0:29 

NOTA: 8,5

(Só pra fechar, eu não faço a menor idéia do significado das intros "2011", "1433",  "5772" e "4648", perguntem pro Andreas e me avisem se descobrirem oque elas são XD)

18 de jun de 2011

Arias Para Começar A Ouvir Opera

Antes de ver a seleção de árias que eu escolhi, você deve se comprometer a escuta-las. Se não for fazer isso, sugiro que pule esse post, pois ele não foi feito para ser ignorado por você.  Agora se você quer conhecer o gênero que tanto influencia o Heavy Metal sugiro que veja todos os vídeos escolhidos aqui.

Para ouvir Opera você precisa de:

1- Paciência, pois é um genero que deve ser degustado, e que melhora a cada audição.

2- Concetração:  Opera é um genero complexo, que exige atenção, para que seu conteúdo seja absorvido.  Portanto nada de ir fazer outra coisa ou ficar acessando outros sites durante a audição da mesma.

Esse é o básico, e agora vamos as árias:


Aria:  O Mio Babbino Caro
Opera:  Gianni Schicchi
Compositor:  Puccini
Interprete:  Floor Jansen


História da Ária:  Essa é uma das árias mais populares da Opera e foi composta por Giacomo Puccini que é um dos mais ilustres compositores de Opera.  Essa ária foi feita para ser cantada por um Soprano tradicional, apesar de ser interpretada por Mezzosopranos também.

Apesar de ser uma Ária muito popular, a sua opera não tem a mesma fama, portanto essa ária é mais usual em concertos solos.

Interprete:  Floor Jansen como se sabe é uma cantora lírica que fez fama no grupo de Heavy Metal; After Forever e agora canta no Revamp. Mais informações aqui


Ária: Ave Maria
Compositor: Vários
Interprete: Reneé Fleming


História Da Ária:  Essa ária é a parte cantada da oração Ave Maria, e foi transcrevida para a música erudita por diversos compositores. E cantada tanto por homens quanto mulheres.

Reneé Fleming:  É uma Soprano Lírico-Spinto conhecida pelo seu lindíssimo timbre.  Atua em Operas de Mozart, Strauss e Verdi  principalmente. Um dos seus grandes destaques a interpretação da Opera "Rapto do Serralheiro" de Mozart.

Hoje ela é uma das estrelas da música erudita contemporanea, ficando muito famosa e é contratada  da Decca (uma das maiores gravadoras para Opera). Se destaca pela riqueza de cores do seu timbre aveludado, nessa música você pode ver apenas um trechinho da linda voz dessa Soprano.

Indicada para iniciantes.


Ária: Casta Diva
Opera: Norma
Compositor: Bellini
Interprete: Angela Gheorghiu


História da Ária:  Casta Diva é a ária mais famosa da opera Norma de Bellini, e foi feita para ser cantada por uma Soprano Lírico, que interpreta na Opera o papel de Norma.

Angela:  Outra Superstar do mundo da Opera, ou você acha que é qualquer soprano que tem clipe? Seu timbre é muito bonito, apesar de alguns "entendidos" não acharem isso, eu discordo piamente deles.

Ela era uma Soprano Lírico-Dramático com uma grande extensão vocal, mas com o passar dos anos a sua voz foi ficando mais aveludada o que permitiu que ela cantasse com facilidade registros belcantistas (Verdi, Puccini e Bellini por exemplo) e registros que exigem maior peso na voz coisa que um soprano dramático tem (Operas como Don Giovanni de Mozart por exemplo).

Ela tem um belo registro de peito que é utilizado tanto para os graves quanto para os agudos. Ela pertence ao selo da Emi (Depois falam que Opera é underground).


Ária: Quando Me'n Vo
Opera: La Boheme
Compositor: Puccini
Interprete: Anna Netrebko


História Da Ária:  Essa é uma ária popular da Opera "La Boheme" que é uma ótima opera para se começar a ouvir o gênero.

Anna Netrebko:  Anna é a soprano mais linda que eu conheço, portanto ao escuta-la pensei que iria ouvir uma voz suave e leve só que com contornos líricos (Tipo uma Sharon Den Adel lírica), mas quando ouvi esse vozeirão potente me surpreendi, e acabei gostando mesmo que sua voz não fosse tão doce quanto a da Renné.

Ela também é superstar no mundo da Opera (outra?) e a algum tempo atrás foi convocada pelo Met (A maior orquestra da história) para interpretar Lucia na opera Lucia Di Lamermoor que teve recepções mistas devido a chatice dos fã de Opera, mas ela foi bem sucedida.

Ela é uma Soprano Lírico tradicional perita no repertório belcantista, Operas Mozartianas e algumas operas francesas.


Ária: O Zittre Nicht
Opera: A Flauta Mágica
Compositor: Mozart
Interprete: Diana Damrau


História Da Ária:  Essa é a 1ª ária da opera Die Zauberflöte cantada pela rainha da noite, e começa bem lenta e triste e depois vira um música esperançosa.

Diana Damrau:  Diana é uma Soprano Leggero que arredondou seu registro e virou uma Soprano Lírico-Leggero, e podendo atuar também como Lírica-Dramática, atuando inclusive como Lucia na Opera que eu já mencionei.

Ela é especializada no repertório de Mozart, interpretando várias Operas dele, ela também interpreta; Salieri e Strauss.  Ela não é tão especializada no repertório belcantista, apesar de atuar em operas de Verdi.

Aos poucos está se tornando popular, e já tem seus admiradores.


Ária: Un Belo Di Vedremo
Opera: Madame Butterfly
Compositor: Puccini
Interprete: Renata Tebaldi


História da Ária:  Essa é a Ária principal dessa Opera de Puccini, essa opera eu não conheço bem portanto não vou me alongar mais.

Renata Tebaldi:  É uma das maiores Sopranos da história rivalizando diretamente com Maria Callas. Ela era uma soprano focada no repertório Belcantista e pouco se distanciava disto, mas ela participou das melhores gravações desse tipo de opera.

Ela era uma Soprano Lírico-Spinto que possuía uma voz volumosa a qual moldava com uma técnica admirável. Seus agudos são perfeitos e sustentados pelo seu eficiente Legato (Emissão de Notas agudas em sequência)

Sua rivalidade com La Divina é notória, apesar das duas serem aparentemente amigas (odeio fãs terroristas), e diferente de Callas, Tebaldi se focava mais no canto que na interpretação artística das mesmas.


Ária: L'amour est un oiseau rebelle
Opera: Carmen
Compositor: Bizet
Interprete: Maria Callas


História Da Ária: Essa é uma ária incrível que mistura Habanera que é um estilo cubano com Opera. Essa é uma das árias mais felizes que eu já vi.

Maria Callas:  O que dizer da maior soprano da história? simples ela inovou a opera belcantista com suas atuações teatrais mescladas com o virtuosismo que o Bel canto tanto necessita.

Ela é uma Soprano absoluta e canta em qualquer papel, tanto faz se precisam de uma Drámatica, De uma Leggero ou de uma Mezzosoprano. Mas o que a Callas gostava mesmo era de cantar Verdi e Puccini ainda que ela interprete outras peças, essas aqui são as mais comuns.

Seu Alcance Agudo era incrível e a sua interpretação é uma das melhores da história, Maria só pecava pelo timbre que não era muito bonito, ainda que sua interpretação cobrisse bem essa falha. Callas é uma mulher inteligentissima, e entendedora de música como poucos, suas citações são épicas, e merecem ser lidas.


Ária: Sempre Libera
Opera: La Traviata
Compositor: Verdi
Interprete: Natalie Dessay


Natalie Dessay:  É uma Soprano Lírico-Leggero excelente e que tem uma interpretação magnifica teatralmente e também como cantora. Como qualquer outra Soprano Leggero seus agudos são majestosos, e como ela tem uma voz bem variada seus grave também são muito bons.

Ela é extremamente variada é interpreta quase todo o tipo de Opera.  Dessay é fantástica e seu grande destaque é Lucia Di Lammemoor.

Pronto Vamos a última, e como eu não conheço essa ária direito não vou opinar.

Ária: Rusalka
Opera: Rusalka
Compositor: Dvorak
Interprete: Tarja Turunen


História Da Ária: Essa é ária mais famosa do compositor russo Dvorak, essa ária também é interpretada pela bela Anna Netrebko.

Tarja Turunen: Post

Aqui está alguns sites para voce baixar Cds ligados a Opera
http://pqpbach.opensadorselvagem.org/giacomo-puccini-1858-1924-la-boheme-netrebko-villazon/
http://maisumadofalsario.blogspot.com/search/label/Natalie%20Dessay

Algumas dicas para escutar Cds de Opera:

1- se você tiver muita dificuldade escute 3 músicas por dia.
2- veja quem está atuando em cada papel, e leia um pouco sobre ele. Vale ver fotos também.
3- As dicas do inicio do Post estão valendo
4- Vamos supor que você ouviu as faixa 1,2,3 da Opera Il Trovatore, no dia seguinte repita esse processo até degustar por completo essas 3 árias depois passe para 4,5,6 e repita o processo
5- Devido a regra 4 baixe um cd por vez
6- Você também pode fazer assim: Escutar a Opera toda e depois voltar a escutar ela, até degusta-la por completo e poder passar para outra.
7- Procure ler mais sobre Opera para entender o que se passa.

Boa sorte em sua busca

16 de jun de 2011

Amaranthe (2011)

O Heavy Metal  até hoje é um genero em constante mudança, entretanto com o passar dos anos essas inovações tenham ficado mais escassas.  Amaranthe é uma dessas poucas banda que inova atualmente, e faz isso muito bem.

O grupo sueco Amaranthe é uma das melhores bandas que eu ouvi atualmente, e eu não consigo classificar seu som, mas posso dizer que não conheço nada parecido.

O som do grupo é um Heavy Metal moderno com pitadas de Death Metal Melódico que marcam o peso do grupo, refrões melódicos e pitadas de Pop Music incluindo alguns sintetizadores do gênero.

A banda conta com 3 vocais:  um que faz os vocais femininos, o vocal limpo masculino e  vocais guturais de primeira linha.

Essa variação é muito boa e faz com que o ouvinte não se canse ouvindo disco, isso sem falar que o instrumental é ótimo, e é bem pesado principalmente quando Andy (gutural) canta.

As faixas seguem basicamente a mesma formula, e como eu já disse elas não enjoam ouvinte, por serem bem energéticas e também pelo dinamismo dos vocais que se destacam em todas as faixas, das quais destaco: "Hunger",  "1.000.000 Lightyears", "Automatic", "Rain"," Serendipity" e todas as outras são muito boas.

Os vocais de Elize são bem pop mesmo, só que ela não precisa de autotune e tem um timbre bem bonito, e um alcance realmente decente. O vocal limpo de Jake também são bem legais e ele tem um pouco de punch metálico na voz, e ele canta os refrões junto com a Elize fazendo a parte melódica do som do grupo.

Por outro lado Andy é o destaque na parte gutural, toda vez que ele canta o peso da banda duplica de tamanho, e na minha opinião ele é o grande destaque do disco.  A única faixa do disco que não segue a formula do grupo é "Amaranthine" , que começa como uma balada bem bonita cantada pela Elize.

Um dos melhores discos de 2011 que peca apenas pela pouca variação entre as faixas, mas mesmo assim é um incrivel debut.

Nota: 9,5 *********1/2

15 de jun de 2011

Illud Divinum Insanus (2011)

O Morbid Angel é uma das maiores bandas de Death Metal da história, eles foram os responsáveis por finalmente dar cara a esse gênero com o magnifico "Altars Of Madness", e depois de um longo hiato a banda finalmente lançou um disco.  Só que mesmo com a volta do vocalista e baixista David Vincent o disco é decepcionante.

E triste dizer isso, mas o novo disco do Morbid Angel que vem com uma caixinha linda, cercado de expectativa e declarações positivas e ansiosas dos músicos principalmente do David, é infeliz em sua proposta.

Adicionar efeitos eletrônicos não é bem um problema, o que na verdade é ruim no disco é a forma como ele é utilizado e as faixas pouco inspiradas.

O disco tem uma abertura bem legal, que dá espaço a horrível "Too Extreme" que conta com efeitos eletrônicos que substituem todo o peso da banda, vocais com autotune, e é uma música que não lembra em nada o estilo em que a banda se consagrou.

O disco dá a impressão de que vai melhorar com as faixas "Existo Vulgorñ" e "Blades for Baal" que lembram um pouco o bom e velho Death Metal que o Morbid fazia, e nessas duas músicas o baterista destrói tudo com blasts beats ultra velozes que abafam os riffs.

Infelizmente o disco cai novamente de nível com músicas medíocres como "I am Morbid" (tem um backing vocal que lembra um orgasmo, estranho não acha?) e a pior de todas a "Destructos Vs. the Earth / Attack" que é uma versão piorada de Too Extreme.

As faixas seguintes voltam ao Death Metal, só que elas são totalmente genéricas por exemplo: "Nevermore" e só bateria e vocal, porque a bateria engole a guitarra de vez e as outras são faixas nota 6.

Trey faz bons solos no disco, e esses solos muitas vezes são a melhor parte das músicas.  Por outro lado ele não faz um riff que presta ou que seja pelo menos audível, outra participação genérica e a do vocal David Vincent que não apresenta nada demais na voz (e as vezes ainda usa autotune), além de ter composto verdadeiras bombas nesse disco.

"Radikult" é uma faixa que lembra um pouco o Slipknot com uma pitada de industrial, ela não é tão ruim quanto suas irmãs industriais, na verdade é uma faixa que vai melhorando muito conforme o tempo passa, mas não chega a ser um destaque.

Infelizmente todas as minhas expectativas foram destruídas, eu esperava um petardo, mas o disco passa muito longe disso. Uma mancha na discografia desse banda maravilhosa.

Nota: 4,5  ****1/2

Bandas e Artistas recomendados

Animals As Leaders é uma banda de Progressive Metal/Djent puramente instrumental encabeçada pelo monstro da guitarra de 6, 7 e 8 cordas (SIM É MUITO PESADO) Tosin Abasi. Pra quem curte solos foderosos, peso sem fim, melodia belas e relaxantes (não é ironia) e musica bem feita essa é uma das pioneiras da nova onda metalística...


Ego Fall, é uma banda de Melodic Death/Metalcore muito foda vinda da China, que tenta inovar nessa cena que já ta saturada de "Archs Enemys" e afins, assim como o Sepultura usa a os sons tribais do Brasil o Ego Fall usa um pouco da musica folclórica da China com uns efeitos de Metal Industrial formando um som muito foda, a única coisa que pode incomodar alguns ouvintes são as letras em chinês XD


Tyrant é quase uma lenda do Symphonic Black Metal, eles vem do Japão e fazem um som um tanto peculiar, no seu primeiro album "Under The Dark Mystic Sky"  eles fazem um black metal puro, porém ao tentarem ser mais originais eles mudam pro lado symphonic e lançam seu segundo album  "Legend", porém a verdadeira obra prima foi seu terceiro e por enquanto último album lançado "Grimoires" que além de usar todo o symphonic black a banda conta com solos fantásticos de guitarra. A banda ainda esta na ativa porém eles são MUITO undergrounds e você quase não encontra informações sobre eles, tanto que essa foto nem é da atual formação


Porcupine Tree é simplesmente uma banda foda, o som deles é meio que inexplicavel pra mim, eles juntam um pouco de rock psicodélico com rock e metal progressivo e alternative. A banda é liderada pelo gênio Steven Wilson que compõe monstruosamente bem além de ser um puta produtor que além do Porcupine participa de mais 6 bandas e ainda tem sua carreira solo!!!

11 de jun de 2011

A Historia de Compra de cada CD e as novas aquisições

Vamos em ordem de compra, nesse caso o meu 1º DVD foi o "Live Armageddon" do Krisiun e também foi o primeiro disco que eu comprei, e lembro até hoje da minha cara de felicidade por ter achado esse CD na loja Saraiva onde tinha um monte de cds ruins.

Eu lembro que quando peguei o DVD começou a tocar uma música do In Flames na minha cabeça, o que provavelmente era sinal de felicidade, glória e sorte por te-lo achado.

O disco custou 35 Reais.



A capa desse cd é linda demais, essa foto que você está vendo é horrível se comparada com o DVD deles que eu tenho aqui, o único problema é a fragilidade do produto já que ele é uma espécie de livro de capa dura (mas nem tão dura).

Eu fiquei muito feliz quando achei esse DVD, pois o Tuatha De Dannan era uma banda que eu queria conhecer melhor já que eu só tinha ouvido umas musiquinhas deles e gostado muito!

O único problema é que ele é acústico, mas isso não atrapalha já que essas bandas folk se dão muito bem com isso. O disco me custou 45 Reais.


Houve uma epóca em que eu estava viciado nos guitarristas virtuosos, e por acaso nesse dia eu também achei um do Steve Vai, entretanto era um registro mais burocrático em relação a esse.

Esse disputou com o do Shaaman que já tinha o Thiago nos vocais (mas eu pensava que era o André que ia cantar) e com o G3 no final da compra, mas o do Satriani era 30 R$ ou 25$ muito mais barato que o do G3 e o do Shaaman que custavam 40 R$.

Não me arrependo da escolha.



Mais uma capa lindíssima na minha coleção. Na epóca eu não conhecia o Nightwish tão bem quanto hoje, tendo escutado apenas o 1º e o último disco deles, e esse me ajudou muito a ver como eles são incríveis.

Quando eu o achei na loja eu pensei "Não acredito! se continuar assim eu vou falir" e de fato fali, eu gastei naquele dia 200 R$ com os DVDs anteriores, sendo que esse é o mais caro da minha coleção e me custou 50 R$.

Vale cada centavo.


OBS: Todos os Cds citados anteriormente foram comprados na Saraiva e no fim gastei 200 Reais.


Eu sempre gostei de Evanescence e isso não mudou depois que eu comecei a ouvir Heavy Metal, eu até tentei largar o grupo, mas como não consegui acabei virando fã de vez.

O Pop Gothic Metal do grupo me agrada muito, principalmente pelo fato de que eu adoro bandas com vocais femininos sombrios. Eu comprei o CD para ver como a banda é ao vivo, entretanto comprei nas americanas uma PIORES lojas para se comprar CDS bons.

O disco nem oficial, é apenas um Bootleg de luxo, ou seja não é pirata e nem oficial. O disco me custou 15 reais e até hoje não ouvi o bichinho inteiro


Eu comprei nas americanas também, entretanto ainda não escutei-o até agora, sei lá porque, mas pelo menos eu sei que ele é bom.

Me custou 15 Reais, e mostra o show da banda em um festival em Donigton em 1990.

Eu comprei esse no mesmo dia em que eu comprei o do Evanescence.






Mais um bootleg de luxo! malditas americanas! foi isso o que eu disse após comprar esse CD, por outro lado ele é muito bom e mostra o Whitesnake no seu auge desfilando clássicos.

Esse foi o último CD que eu comprei naquele dia, e ele é muito bom, se você descontar o absurdo que acontece na 1ª música, ele vira um petardo.

Comprei ele por 15 reais




OBS:  Esses 3 últimos discos foram comprados nas lojas americanas no mesmo periódo


A minha maior dúvida é se esse foi um dos melhores CDs que eu comprei ou se foi um dos meus maiores arrependimentos.

O disco é um clássico do metal, é estava sendo vendido por 10 R$, entretanto a capa veio rachada, para o meu desgosto.

Entretanto eu pelo menos tenho o oficial e o CD roda muito bem então não há motivos para tristeza.

Foi o 1º CD que eu comprei, os outros eram DVDs.







Eu tinha mais 15 Reais sobrando nesse dia, então decidi levar esse DVD, que eu achava que era um show, entretanto não passa de um documentário do grupo.

Isso tirou toda a graça de assistir a esse DVD, entretanto se eu mudar de ideia já tenho o que assistir.

Me custou 10 reais




Obs: Esse 2 últimos foram comprados no mesmo dia nas americanas.


Eu fui em um loja especializada em disco ver se eu conseguia achar bons discos de metal, entretanto a loja em que fui era horrível e praticamente todo o seu estoque era de sertanejo, e na seção de Rock tinha Justin Bieber.

Foi lá que eu comprei essa excelente coletanea do Iron que tem uma capa lindíssima ao vivo que reúne as melhores músicas do Iron (1980 a 1988).

Tremendão é pouco. comprei por 19,50 reais.


OBS:  Esse foi o único que eu comprei naquela loja


Um dia passeando nas americanas achei esse CD por 10 reais e não pensei duas vezes, e o levei para casa.

Um clássico da música sem duvida por um valor rídiculo como esse é muita sorte, e pior ao chegar em casa eu teria mais sorte ainda.

Um dos melhores discos que comprei nas americanas.





OBS: foi o único que comprei naquele dia.


Pela 1ª vez eu fui a uma loja de metal, e vendo os discos achei esse tesouro, por apenas 17 R$ e só faltou abrir o champanhe para comemorar achar um dos melhores discos de 2009 por um preço rídiculo.

Eu já conhecia a fama do Shadowside como banda prodígio, e esse foi um disco que recebeu muitos elogios da crítica. E para mim o disco é um dos melhores da cena nacional.

Valeu cada centavo.



Nessa mesma loja achei um disco do Nile, que estava na minha lista de compras, também por um preço amistoso de 19 reais.

Se você levar em conta que a maioria dos discos lá iam de 25 a 40 reais esses que eu comprei foram baratinhos, e esse é um dos melhores discos do Nile, e com certeza estará entre os indicados quando eu fizer um post sobre a banda

Meu amigo que já estava louco porque eu tinha comprado o Tuatha De Dannan, enlouqueceu de vez quando comprei esse.



Ô banda cara que e o Dimmu Borgir, apesar disso seus discos são muito bem produzidos e cheios de bonûs. Esse DVD ao vivo me custou salgados 40 reais, mas em compensação ele é um dos melhores discos do meu acervo.

Quando o meu primo viu ele, me disse que eu tinha que
 guardar ele como se ele fosse um tesouro. E não é? é um DVD triplo com 2 shows completos do grupo e outros 2 retalhados, e um dos shows do grupo e no Wacken Open Air 2007.

E o DVD é lindo demais, e ainda vem um livrinho com as letras.


Esse é um dos meus CDs preferidos da minha coleção, mas foi uma novela para compra-lo. Quando eu o vi na loja por 18 reais desconfiei de armação já que os novos custavam 33 reais, e eu tinha lido uma crítica negativa feita a esse CD, o que me fez levar o EP "Lost In Space Part I" por 12 reais, um erro letal!

Depois de ver o erro absurdo que cometi, lendo uma resenha do Thiago Cardim, eu fui até a loja para devolver o disco e levar esse que você vê na foto. Por algum motivo macabro o CD tinha inflacionado 17% indo para 21 reais. Ai eu fiz a troca e me mandei da loja feliz da vida.


OBS: Todos os citados foram comprados no porão do rock em Brasília, e todos exceto o do Avantasia foram comprados no mesmo dia.


Eu não me orgulho por possuir esse DVD na minha coleção já que ele não é original como se pode sugerir pela capa, e futuramente será usado como moeda de troca para comprar um disco original da banda.

No dia eu estava louco para ver esse disco então pedi para que ele fizessem uma cópia e deixassem lá para que eu fosse buscar, ai eu fui paguei 22 reais (que no futuro será usado para trocar com um disco (original).

O Show e excelente é espero achar o mais rápido possível sua versão original.


Um dos meus discos preferidos da minha coleção foi indicado pelo Renan Lima do Blog "A Bíblia do Rock".  Eu perguntei para o Renan qual disco eu devia levar o "Glory To The Brave" do Hammerfall, ou a turnê do disco Visions (Magnum Opus do Stratovarius).

Hoje eu tenho os dois, e me tornei fã do Stratovarius, o curioso dessa história, e que quando eu fui agradecer ao Renan pela indicação ele disse que eu não devia ter perguntado isso para ele. O QUE? eu não entendi nada mas preferi ignorar vai saber o que se passava pela mente dele quando falou isso, Depois no mesmo dia conversei com ele normalmente.  Me custou 27 reais.


Eu adoro o metal nacional, e estava numa fase onde o que eu mais queria, era discos de metal nacional.  E nessa onda comprei o melhor disco do Almah projeto solo do Edu Falaschi.

A capa desse disco é lindíssima, bem diferente dessa foto horrivel que voce está visualizando, esse disco me custou salgados 24 reais, eu esperava que ele fosse mais barato por ser nacional.

De qualquer maneira é um belíssimo disco, e uma das melhores performances de Edu Falaschi.



Mais uma moeda de troca, pois esse DVD é falso também, eu comprei ele por algum motivo absurdo, que não me vem a mente agora, talvez eu quisesse conhecer melhor o som do grupo.

O DVD é bom, ganharia 7 se eu fosse resenha-lo já que não possui legendas e é em alemão, e isso faz MUITA diferença nesse DVD, o show em compensação é excelente.

Gastei 15 reais nele




Para fechar a conta eu tinha ficado entre Aquaria e Adagio que ambos custavam 15 reais. vejam porque eu escolhi esse.

1- Porque eu queria um disco do Symphony X e no CD vinha escrito "Banda no estilo do Symphony X"
2- Porque eu gosto do vocal do Gus Monsato.
3- A capa do CD do Aquaria era alternativa portanto horrível!
4- O Aquaria estaria lá na minha próxima visita (e estava).

Eu ainda não ouvi o bichinho inteiro, mas ainda vou ouvi-lo.


OBS: Todos esses 4 citados foram comprados no mesmo dia. o do Behemoth foi num dia isolado.


Esse eu herdei do marido da minha prima que estava insatisfeito com o disco porque ele tinha defeitos no 2º CD (ele é duplo), e também por causa dos cortes na duração das músicas.

Eu nem me preocupei, para resolver esse problema bastava baixar o CD 2, e ficar com o CD 1 junto com o encarte.

Eu ainda não escutei o disco todo (afinal estamos falando do Dream Theater), mas li que ele é ótimo para conseguir novos fãs.



Se lembra do CD que eu não tinha comprado naquele dia por causa do Renan? então ele está aqui em versão Deluxe com alguns bonûs divertidos.

Eu paguei míseros 3 reais para conseguir ele, usando o DVD ao vivo do
Edguy (que não estava rodando no meu PC) que havia custado 22 reais e era pirata igual os outros, como moeda de troca.

Esse CD é sensacional, e eu fiquei escutando o bichinho por um bom tempo. o CD custava 25 reais.



Mais uma capa lindíssima, que merece todos os elogios, e é ainda mais linda ao vivo.

Eu não vou falar nada a respeito do disco, pois eu falarei dele futuramente em um post que farei sobre a história do Angra.

Na verdade meu maior sonho é comprar Temple Of Shadows, quem sabe um dia eu o compro. Esse me custou 30 R$ e eu queria muito que ele fosse vinil, porque a capa é muito linda.




Meu maior ódio e ter deixado uma herege segurar o CD, a filha de puta deixou o CD cair, e ele abriu um minúsculo rachado, que ficou grande na minha visão aguçada de coleccionador.

Enfim a capa é bonita e o rachado e perseptivel apenas se tiver muita luz, ou que você coloque os olhos bem perto da capa.

O disco me custou 30 R$ e eu reservei ele e o do Angra, e no dia ainda levei o do Hammerfall no dia. Valeu cada centavo.



OBS: Os últimos 3 foram comprados no mesmo dia.


Reservei esse DVD sensacional com o show do Immortal no Wacken Open Air de 2007, um mês atrás, e como eu estou em uma fase mais feliz ainda não vi o negocio inteiro.

Mas esse CD promete sua imagem é perfeita e ver o Immortal tocar sem ser em um clipe tosco e algo bem interessante, isso sem falar nos fãs que agitam muito esse show.

Me custou 45 reais.



OBS:  Foi o único comprado no dia, e nesse dia houve um vazamento de gás no local, e a área teve de ser evacuada.


Quando o Judas anunciou seu show aqui, eu estava economizando para ir no show da banda, e já tinha 90 reais, e prometi a mim mesmo que não iria cair em pecado gastando com CDs, mas você sabe como são os coleccionadores.

Eu não achava esse disco em lugar nenhum e era o que eu mais queria da discografia do grupo, e paguei 20 reais por sua aquisição, e sai feliz da vida.

Agora posso escutar os meus clássicos preferidos da donzela sem sentir culpa por não ter o original.

OBS: O disco foi comprado na Leitura que é uma loja boa para comprar CD.

As Novas Aquisições

Depois de um mês inteiro sem comprar nenhum CD, esperando que os preços do show do Judas fossem anunciados pela distribuidora que havia prometido que eles seriam anunciado dia 11 de maio, eu mandei todo mundo se fuder e voltei as compras, e voltei muito bem.

Esse disco do Edguy já estava nos meus planos de compra há tempos, e só ontem que consegui compra-lo por 23 reais, uma curiosidade e que o melhor disco do Edguy era o mais barato do acervo do grupo alemão.

Eu vou degustar cada segundo desse disco.


Eu queria muito um DVD ou um disco do Arch Enemy, e eu achei esse disco apenas há alguns dias da postagem do disco Khaos Legions.

Esse DVD é um desfile de clássicos, e mostra o Arch Enemy na turnê do incrível "Rise Of Tyrant" que é um dos melhores discos do grupo.

Paguei 35 reais por ele, e tenho certeza de que não me arrependerei.






Um excelente disco de Symphonic Metal a preço de lojas americanas, achar esse disco foi muita sorte minha, eu lembro que um cara disse que comprou ele por salgadinhos 75 Reais.

E adivinhe, eu paguei apenas 10 reais para adquiri-lo, sorte é pouco.








Esse é um box com 2 DVDs e promete ser muito bom, que eu hesitei muito em comprar, mas no fim acabei sendo convencido a compra-lo pelo vendedor insistente.

Eu já tinha lido diversas resenhas sobre o Therion, e todas elas eram muito positivas, e enalteciam a criatividade do grupo Sueco.

Comprei ele por 35 reais, um preço bem camarada considerando a beleza do disco e o seu conteúdo



Acabou! espero futuramente conseguir os discos que me faltam para completar a minha coleção.