16 de jun de 2011

Amaranthe (2011)

O Heavy Metal  até hoje é um genero em constante mudança, entretanto com o passar dos anos essas inovações tenham ficado mais escassas.  Amaranthe é uma dessas poucas banda que inova atualmente, e faz isso muito bem.

O grupo sueco Amaranthe é uma das melhores bandas que eu ouvi atualmente, e eu não consigo classificar seu som, mas posso dizer que não conheço nada parecido.

O som do grupo é um Heavy Metal moderno com pitadas de Death Metal Melódico que marcam o peso do grupo, refrões melódicos e pitadas de Pop Music incluindo alguns sintetizadores do gênero.

A banda conta com 3 vocais:  um que faz os vocais femininos, o vocal limpo masculino e  vocais guturais de primeira linha.

Essa variação é muito boa e faz com que o ouvinte não se canse ouvindo disco, isso sem falar que o instrumental é ótimo, e é bem pesado principalmente quando Andy (gutural) canta.

As faixas seguem basicamente a mesma formula, e como eu já disse elas não enjoam ouvinte, por serem bem energéticas e também pelo dinamismo dos vocais que se destacam em todas as faixas, das quais destaco: "Hunger",  "1.000.000 Lightyears", "Automatic", "Rain"," Serendipity" e todas as outras são muito boas.

Os vocais de Elize são bem pop mesmo, só que ela não precisa de autotune e tem um timbre bem bonito, e um alcance realmente decente. O vocal limpo de Jake também são bem legais e ele tem um pouco de punch metálico na voz, e ele canta os refrões junto com a Elize fazendo a parte melódica do som do grupo.

Por outro lado Andy é o destaque na parte gutural, toda vez que ele canta o peso da banda duplica de tamanho, e na minha opinião ele é o grande destaque do disco.  A única faixa do disco que não segue a formula do grupo é "Amaranthine" , que começa como uma balada bem bonita cantada pela Elize.

Um dos melhores discos de 2011 que peca apenas pela pouca variação entre as faixas, mas mesmo assim é um incrivel debut.

Nota: 9,5 *********1/2

Nenhum comentário:

Postar um comentário