15 de jun de 2011

Illud Divinum Insanus (2011)

O Morbid Angel é uma das maiores bandas de Death Metal da história, eles foram os responsáveis por finalmente dar cara a esse gênero com o magnifico "Altars Of Madness", e depois de um longo hiato a banda finalmente lançou um disco.  Só que mesmo com a volta do vocalista e baixista David Vincent o disco é decepcionante.

E triste dizer isso, mas o novo disco do Morbid Angel que vem com uma caixinha linda, cercado de expectativa e declarações positivas e ansiosas dos músicos principalmente do David, é infeliz em sua proposta.

Adicionar efeitos eletrônicos não é bem um problema, o que na verdade é ruim no disco é a forma como ele é utilizado e as faixas pouco inspiradas.

O disco tem uma abertura bem legal, que dá espaço a horrível "Too Extreme" que conta com efeitos eletrônicos que substituem todo o peso da banda, vocais com autotune, e é uma música que não lembra em nada o estilo em que a banda se consagrou.

O disco dá a impressão de que vai melhorar com as faixas "Existo Vulgorñ" e "Blades for Baal" que lembram um pouco o bom e velho Death Metal que o Morbid fazia, e nessas duas músicas o baterista destrói tudo com blasts beats ultra velozes que abafam os riffs.

Infelizmente o disco cai novamente de nível com músicas medíocres como "I am Morbid" (tem um backing vocal que lembra um orgasmo, estranho não acha?) e a pior de todas a "Destructos Vs. the Earth / Attack" que é uma versão piorada de Too Extreme.

As faixas seguintes voltam ao Death Metal, só que elas são totalmente genéricas por exemplo: "Nevermore" e só bateria e vocal, porque a bateria engole a guitarra de vez e as outras são faixas nota 6.

Trey faz bons solos no disco, e esses solos muitas vezes são a melhor parte das músicas.  Por outro lado ele não faz um riff que presta ou que seja pelo menos audível, outra participação genérica e a do vocal David Vincent que não apresenta nada demais na voz (e as vezes ainda usa autotune), além de ter composto verdadeiras bombas nesse disco.

"Radikult" é uma faixa que lembra um pouco o Slipknot com uma pitada de industrial, ela não é tão ruim quanto suas irmãs industriais, na verdade é uma faixa que vai melhorando muito conforme o tempo passa, mas não chega a ser um destaque.

Infelizmente todas as minhas expectativas foram destruídas, eu esperava um petardo, mas o disco passa muito longe disso. Uma mancha na discografia desse banda maravilhosa.

Nota: 4,5  ****1/2

Nenhum comentário:

Postar um comentário