7 de jul de 2011

Analise: New Metal 1ª Parte

Vejo muitas pessoas  com duvidas sobre o genero, e espero que esse texto ajude você a entender melhor essa "Persona non grata" da familia do Metal, e os motivos que o levam a ser odiado pelos headbangers. Vamos começar analisando as bandas de geração em geração.


Korn é a banda precursora do Nu Metal, e foi ela que abriu caminho para que outras bandas do genero fossem conhecidas.

Analise

O Som do Korn é Metal industrial, só que eles decidiram adicionar elementos do Funk e do Rap (o último aparece em algumas músicas) o que culminou na criação do genero New Metal

Jonathan Davis:  É um vocalista comum sem sal nenhum, esse que é o problema, pois o som do Korn pede um vocal potente e que possua um belo punch metálico, mas ao invés disso ele prefere cantar limpo, e o seu timbre não é lá essas coisas. E quando essa criatura tenta inovar ele ferra a música de vez.

o Alcance dele também é fraco, em compensação ele tem uma interpretação que supre algumas carências da sua voz, mas não resolve

Reginald:  Ele é o baixista do Korn, bom músico, mas faz uns slaps muito chato que mesclam rap com heavy metal. No geral ele faz bem o serviço.

James Shaffer:  O Guitarrista do Korn é um dos músicos mais fraquinhos que eu conheço, ele só faz riffs porcarias e sem nenhum feeling e técnica. E dai que ele toca uma guitarra de sete cordas, podia tocar uma de nove que não faria diferença.

Ray Luzier:  O melhor do grupo é o baterista que consegue segurar toda aquela bagunça da banda, e ele marca o ritmo com uma precisão incrível. O baterista também tem a difícil tarefa de adaptar seu som com o funk industrial e por vezes o rap da banda.

Ao vivo é um monstro! em compensação a banda parece não se importar com ele, lhe dando um papel secundário.

Minha Opinião

Para falar do Korn eu escutei o disco mais famoso da banda o "Follow The Leader" e confesso que o disco me empolgou em algumas partes, mas no geral ele é um disco sem emoção e chato.

Os elementos do funk e do industrial foram bem mesclados, mas em compensação o lado "metal" da banda é muito afetado, pois o Funk não combina com o metal o que gera momentos de puro tédio, pois o funk é um estilo mais cadenciado e feliz, mas a felicidade é inteiramente cortada pela banda.

O Instrumental da banda é muito simplista, não que eles sejam maus músicos, mas que eles parecem não querer mostrar todo o seu potencial, e a atuação do guitarrista é muito burocrática. O vocal também não empolga, não atrapalha, mas não ajuda a banda conseguir sair da linha media.

Uma coisa que me agrada no som do Korn são os breakdowns da banda e alguns sons industriais também ficaram bons, em compensação os riffs rapeados são muito chatos. para falar a verdade quando a banda cai para o lado Rap o caldo entorna violentamente, e ninguém merece ouvir músicas onde o Ice-T e o vocalista picareta do Limp Bizkit cantam.

O som da banda evoluiu depois para algo mais próximo do rock alternativo largando um pouco do funk que os tornou celebres, eu acho essa evolução incrivelmente chata, pois com isso eles perderam todas as caracteristicas que eu admirava no som deles. Hoje eles voltaram ao estilo clássico, mas eu não tive a oportunidade de ouvir o novo CD.


Limp Bizkit é um dos grupos mais famosos de New Metal e ascendeu junto com o Korn a mídia. o Limp Bizkit mistura Rap com um metal bem fraquinho.

Fred Durst:  O Vocalista é um cara bastante intragavel e seu vocal viaja naquela linha do Hip Hop americano só que de uma forma pior, porque o vocal dele me lembra aqueles cantores branquelos que querem ser rappers.

O Timbre dele é horrível e seu alcance é incrivelmente patético, e a interpretação é muito falha como disse antes. Quando ouvi a faixa titulo do novo disco achei que ele era um rapper de verdade, mas depois eu fui sacar suas outras atuações e vi que ele não passa de um vocalista faxuto de rap, e que aquilo era um brilho isolado.

Sam Rivers:  Tudo bem que o baixo no Limp Bizkit se destaca, mas mesmo assim o baixista podia fazer muito mais com tanto destaque.

John Otto:  Fala serio? esse é o baterista mais fraquinho do New Metal nada a declarar.

Wes Borland:  Esse guitarrista é de um mimi incrível, ele vive saindo e voltando para a banda, e não toca absolutamente nada, seus riffs são os piores que eu já tive oportunidade de ouvir e são todos afinados na nota mais grave que existe. Raramente brilha

DJ Lethal:  Existe um mimi entre ele e o DJ do Linkin Park para ver quem é melhor DJ... bom depois dessa introdução desnecessária vamos ao que interessa. Lethal é um DJ acima da maioria, entretanto
Ainda que ele seja acima da maioria, o fato é que DJs são seres totalmente desnecessários do mundo da música, e ele não toca o suficiente para alavancar a banda e toma muito o espaço dos outros integrantes, e suas camadas de som não são lá essas coisas, e outra ele também faz Scratchs (menos, mas faz) o que o torna insuportável.

Minha Opinião

Chamar o Limp Bizkit de New Metal é uma sacanagem com as outras bandas do gênero, pois o Limp Bizkit é uma banda bem leve e calma e seu "rap" lembra o Hip Hop inúmeras vezes. o vocal é péssimo e os músicos são muito medíocres e seus instrumentos tem timbres totalmente eletronicos, e se você assim como eu odeia DJs fuja dessa banda.

Outra coisa ouvir "Fuck" toda hora é muito chato, e essa banda escrota mancha tanto a imagem do Rap quanto a do nosso adorado Heavy Metal, pois um monte de retardados confundem a banda com isso. E nem adianta ouvir o novo CD, pois ele é fraco até para um Limp Bizkit.

Eu farei uma resenha sobre o novo cd da banda.


Linkin Park é da 2ª geração do New Metal e apesar de sua rivalidade com o Limp Bizkit, eles tem muito em comum.

Integrantes

Chester Bennington: É um péssimo vocal, um dos piores do estilo. O seu timbre é muito ruim e meloso e não tem nada no timbre dele que me lembre "Heavy Metal", sua voz é comum a de um cantor pop do naipe do Backstreet Boys. Seus agudos são patéticos devido a pouca potência vocal do mesmo (o que também evidencia a falta de punch metálico do mesmo).

Outro problema na emissão aguda dele, e que a sua voz não sai limpa neles e ele faz muito esforço para emiti-las, o que é perigoso até para a própria saúde dele. Os agudos são forçados e de baixa emissão, dificilmente ultrapassando uma oitava, e ele não tem vocação para o metal extremo.

Mike Shinoda: É um dos rappers da banda, ele faz de tudo um pouco, se você parar para prestar atenção vai ver que ele é a peça chave de todas as músicas da banda junto com DJ. Seu vocal como o de qualquer outro Rapper é uniforme ou seja ele usa um mesmo tom e nota para a mesma vocalização e as canta rapidamente.

Sua participação na guitarra é medíocre, ele se destaca indo para os teclados ou fazendo backing vocal onde contrói as camadas musicais do Linkin Park (isso foi uma analise imparcial).

Rob Bourdon: Trabalho na batera incrivelmente medíocre, seu trabalho é praticamente dispensável, já que em boa parte das músicas sua bateria parece ser substituída por batidas eletrônicas.

Brad Delson: Outro instrumentista medíocre, que não sabe nem criar riffs memoráveis, optando apenas por tocar sua guitarra afinada na nota mais grave que existe nos refrões das músicas.

Dave Farrel: O Linkin Park tem baixista?

Joe Hahn: É o membro do Linkin Park que eu mais odeio. Tudo que ele faz na banda me enoja profundamente, mas tenho que admitir que o cara não é ruim.

As camadas de som que ele cria juntos com as sacadas do Shinoda é que dão a dinâmica ao som do Linkin Park. Esse meu elogio não deve se interpretado de boa forma, já que com ele eu condeno o Linkin Park como banda de metal.

Se você notou eu só falei bem dos rappers da banda, e disse que todos os outros membros são patéticos, e isso só evidencia a banda como Rap/Hip Hop e a descarta com metal. como será que ficaria um grupo de Rap com esses dois?

Analise Profunda

Escutando melhor o som do Linkin Park eu descobri o drama dos fãs da banda, e posso dizer que entendo sua dificuldade em largar a banda. Individualmente o Linkin Park é uma das bandas mais rídiculas da história, mas o conjunto é muito interessante.

A banda (eu estou falando dos rappers e não dos pesos mortos) constrói sua faixas perfeitamente e cada camada de som é essencial para o sucesso da música, as marcantes são construídas pelos dois, os vocais ficam por conta de Chester que dá vida ao trabalho feito pelos rappers. As músicas do Linkin Park são excelentes trilhas sonoras e afetam muito a mente do adolescente, pois elas tem momentos calmos, de grande intensidade e momentos que antecedem os de intensidade, servindo muito bem qualquer trilha sonora.

O som do Linkin Park é totalmente viciante e funciona quase que como uma droga, tanto é que boa parte dos fãs do Linkin Park tiveram suas fases de extremos vicio. Então porque diabos você odeia tanto a banda? deve estar se perguntando o fã de Linkin Park.

Simples. os músicos da banda são incrivelmente medíocres! debaixo desse amontoado de som nós temos um vocalista fraco, pesos mortos no instrumental e dois caras que em cima disso constroem camadas de som para abafar, e sinceramente acho o trabalho dos dois insuficiente e por vezes incomodo, já que eu odeio Rap/Hip Hop.

E o vocal é um grande problema, pois como já foi argumentado ele é muito falho, e a falta de peso e de Punch metálico neles me incomoda, pois a banda não vai a nenhum com esse som, nem se destacam como Rap e nem como Heavy Metal, sendo apenas uma colcha de retalhos de cada estilo, e ainda tem um vocalista horrível, se ele tivesse pelo menos uma boa voz quem sabe o trabalho não rendia mais.

O Linkin Park é uma banda picareta, sua formula musical e a seguinte:

1- O começo da música é feito por um sampler ou teclado que faz com que o ouvinte se situe a faixa, e que futuramente ele se identifique através dela, já que esse mesmo inicio será repetido durante toda a música.

2- a primeira parte da música é cantada por vocais limpos acompanhados por batidas eletrônicas e as vezes acompanhadas também por backing vocals e linhas de teclados

3- No refrão todos os instrumentos entram de uma vez, e o vocal deve cantar o mais agudo possível.

4- depois disso tudo volta a normalidade, até o pôs refrão que é bem intenso.

5- Você encerra a música como ela começou

Essa formula se repete muitas vezes nos discos mais antigos da banda, e que são os que a galera fã de Linkin Park. O som do Linkin Park é extremamente superficial, e mesmo que tudo seja bem integrado ainda fica um vazio muito grande na proposta Rap Metal da banda.

Como Melhorar

O Linkin Park precisa obviamente de melhores instrumentistas e precisa de um vocalista com um bom punch metálico e um ótimo alcance agudo (Estilo Halford), a banda contará com os backing vocais de um rapper, e a participação do DJ será apenas para contribuir com o som da banda, lógico que ele terá os momentos dele, mas no geral e isso.

Analise

Agora esqueça tudo que eu falei antes porque aqui o assunto é o novo som do Linkin Park, que agora conta com grandes influências de bandas de rock alternativo como: Radiohead, Coldplay, The Strokes, Panic At The Disc e 30 Seconds To Mars.

É acho que eu peguei pesado, mas é por ai. A nova proposta do grupo falha pelos mesmos motivos que eu anterior, só que nesse Chester se destaca junto com Mike, mas o resto fica obsolento. Joe Hahn se perde, e se torna incapaz de produzir algo decente, a participação dos outros diminui, mas olha só que engraçado o Sr Bennigton até que não vai mal nessa proposta e olha que eu odeio seu vocal, Shinoda também vai bem nos vocais, porque na composição peca feio.

Acho a nova proposta da banda nociva a ela mesma, eles podiam fazer o que sugeri lá atrás, pois se seguirem esse caminho logo serão esquecidos.



Se me permitem dizer o Slipknot é o referencial máximo desse estilo o "Iron Maiden do Nu Metal", pois apesar de não ter fundado o gênero e pertencer a 2ª geração do mesmo, é a banda mais famosa do gênero.

Corey Taylor: Inicialmente se trata de um péssimo vocalista com um timbre horrível de cantor do Backstreet Boys e seus vocais raivosos que não convencem nem o pior cantor de Thrash Metal. O Alcance era fraco, e normalmente ele optava por usar apenas um tom, e só alternar na hora dos agudos, a interpretação era até razoável, pouco para um vocal de Metal.

Os anos lhe fizeram bem, com o passar dos discos seu vocal foi melhorando talvez por causa dos graves que ele ganhou, o que fez com que seu timbre ficasse bem mais agradável, que no passado, e isso ajudou nos vocais guturais.

Hoje ele é um bom vocalista, eu até queria ver ele entrar no Velvet Revolver para ver como ele se saia em uma banda que tem uma proposta diferente da Slipknot e do Stone Stour.

Sid Wilson: um Integrante peso morto, já fez mais na banda, mas agora (Graças a Deus) só faz figuração. Ainda bem porque ninguém merece esses Djs imundos do New Metal.

Joey Jordison: Um Batera de mão cheia, o cara executa tudo perfeitamente e é um grande destaque no instrumental da banda, lógico que seu trabalho foi prejudicado devido a fraqueza dos discos da banda, mas ainda sim é um bom baterista

Paul Gray: Ele junto com o Joey Jordison formam uma cozinha bem convincente, uma pena que o som do baixo seja abafado pelos outros instrumentos na maior parte das músicas

Chris Fehn: É o membro mais patético do Slipknot, pois ele toca um instrumento inaudível no meio daquela barulheira, e só faz graça.

James Root: É um bom guitarrista e nada mais a declarar. Se destaca por ser casado com a Cristina Scabbia do Lacuna Coil.

Mick Thomson: É melhor guitarrista que o James, e tem boas influências por gostar do Racer X, e os melhores solos pertencem a ele. Sua participação no Malevolent Creation ficou muito boa.

Shawn Crahan: Outro percussionista? que desperdício, eu sei que ele é importante para a banda, mas é totalmente dispensável.

Craig Jones: Outro membro patético que só faz sombra, existem pouquíssimos samplers no disco novo do Slipknot, e também nunca foi um membro significativo para o som da banda. Totalmente dispensável.


Analise

Um fã do Slipknot me deu um toque falando que o Slipknot tem uma demo em que eles não tem Dj e nem Samplers, mas eu não tive a oportunidade de ouvir esse disco, portanto fico devendo essa analise.

O Slipknot é uma banda de New Metal só que eles tem como diferencial uma queda pelo metal extremo, o que faz com que o seu som seja mais pesados do que o dos seus irmãos. Vamos analisar o Slipknot por CDs.

Esse é o pior disco da banda. Os vocais do Corey Taylor apresentam aquele problema citado no inicio, há um excesso de coisas irritantes como Scratches de DJ e "fucks" nas letras. As guitarras se limitam a fazer bases pesadas e a bateria e o baixo não impressionam.

O disco tenta ser um "Neo Thrash " (gosto de enquadrar a banda nesse gênero) de qualidade, mas falha miseravelmente por se parecer muito com o então popular Nu Metal. Resumindo esse é um disco horroroso, indeciso e tenta soar "cool", e como isso me enoja.

Iowa é o disco mais pesado do Slipknot chegando as vias do Thrash Metal as vezes, entretanto ainda permanece com vários elementos daquele New Metal horroroso do disco anterior. 

Acho que exagerei no paragrafo anterior, pois o disco só é pesado em algumas faixas, e aquele DJ maldito está bem presente nesse registro, o Sampler também irrita muito, e a banda continua com aquela de "pseudo bad boys" enchendo o disco de "Fucks".

As guitarras tem seu momentos de brilho, mas no geral elas são bem comuns e nem impressionam. o baterista e o baixista são os que mais ajudam, e Corey permanece com aquele seu vocal horrível que só apresentaria sinais de melhora no próximo disco.

Algumas faixas são totalmente dispensáveis e estranhas (os caras só podiam estar drogados quando as fizeram), as outras quando embalam são destroçadas pelo DJ (é dificil engolir o cara). Se fosse um disco de Thrash Metal seria um dos piores do gênero, então Maggot dê graças a Deus que o disco não é considerado como tal.

Aqui o Slipknot começa a dar sinais de melhora, principalmente pela melhora do seu vocalista e também pela pouca participação do irritante DJ e do maldito sampler.

Ainda sim, esse é um disco fraco que no máximo ganha nota 5,5, pois apesar da melhora o disco não tem muitas faixas que se destacam, em particular gostei das "Vermilions" e as outras faixas trabalharam em conjunto para angariar essa nota, já que nenhuma é totalmente boa.

O bom é que a banda se aproximou do Heavy Metal verdadeiro, e apresenta um som mais consistente, mas pouco para uma banda de metal.

O Slipknot tomou juízo nesse registro e gravou seu melhor disco, o DJ e o sampler ficaram chupando dedo, e o vocal do Corey Taylor está na sua melhor forma, o que ajuda muito!

As canções pesadas finalmente convencem, e as mais lentas não sofrem mais com o vocal pedante do Corey Taylor. O Instrumental está perfeito, os guitarristas optaram por bases mais pesadas com bons solos, a cozinha está em sua melhor forma.

Um bom registro.

25 comentários:

  1. Quer dizer que o último disco do slipknot ficou..bom? Quero escutá-lo então.

    Só falta eles pararem de ser posers e tirar essas máscaras que são totalmente ridículas, se bem que a banda é ridícula então...que tenham algo ridiculo como marca registrada.

    Mas particularmente eu gosto muito de uma música deles: "Duality", fora que o clipe é muito bom, onde estão todos os integrantes e mais uma cambada de filho da puta dentro duma pequena casa quebrando tudo e fazendo headbang. Muito legal.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, adorei esse post, vc é ótimo crítico! As melhores resenhas foram do LP e do Slipknot, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelos comentários, Anônimo.

    ResponderExcluir
  4. Rubens você é um bom critico, mas você tem que levar em consideração que o nu metal é um gênero em fusão e é por essas razões que não é tão pesado como as bandas de thrash ou heavy metal, e não são só influenciadas pelo metal e sim por vários outros estilos musicais como: grunge pós hardcore rap hip hop entre outros e por isso você não deve jul-galas por não serem tão pesadas pois como eu já disse não é essa a essência do nu metal

    ResponderExcluir
  5. Não é essa a questão anonimo, até porque eu nem ligo muito para o peso. só penso que essas bandas misturam mal esses elementos.

    O Limp Bizkit poderia render se aplicassem as coisas corretamente. O Korn tem um disco do qual tenho uma ligeira admiração

    ResponderExcluir
  6. caralho quem e esse filho da puta que escreveu essas merdas, porra falar que o Jonathan Davi e o corey taylor nao cantam nada, e de mais, vai aprender a escutar musica de verdade seu filho da puta de merda.

    ResponderExcluir
  7. Eu to começando a desconfiar que todos os anônimos tem sérios problemas de leitura. Eu queria saber onde eu escrevi que esses dois não cantam nada.

    Você não viu eu elogiando a melhora do Corey Taylor? E eu nem falei que o Davis canta mal. Ouvir som de verdade? vai você anônimo, que só ouve essas porcarias de New Metal, e não passa nem perto de Jazz, Música Clássica e Ópera.

    ResponderExcluir
  8. Bew Metal não devia ter "Metal" no nome. é muito Ruim. até poderia ter "Metal mas se fosse antecedido de Crap.


    slipknot, Limp Bizkit e Linkin Park = Crap Metal.

    ResponderExcluir
  9. Eu concordo, mas não acho o Korn e o Slipknot tão vulgares. O Slipknot vem melhorando a cada disco e o Korn tem uma proposta que não me agrada pelos motivos citados no artigo.

    Mas grupos como Snot, Linkin Park, Limp Bizkit são realmente horríveis

    ResponderExcluir
  10. Achei essa crítica muito boa, porém teve algumas coisas que eu não concordei, como por exemplo na parte em que disse que o vocal de Chester Bennington é de curto alcance. Experimente ouvir músicas como "Faint" e "Given Up". Nesta última música então, o vocalista do Linkin Park mostra um fôlego jamais visto em um grito gutural, numa parte pós refrão. Talvez você como headbanger, já vê o New Metal intensionado a falar mal. Agora devo parabenizá-lo pela sua crítica ao Limp Bizkit, essa banda é ridícula até pra mim que sou fã do estilo. E mais uma coisa. Experimente escutar bandas como Mudvayne e Cedweller. Tavez você mude um pouco seus conceitos sobre o Nu Metal.

    ResponderExcluir
  11. Oi José, estimo bastante o seu comentário, pois eu pessoalmente não gosto muita dessa minha crítica. O problema do Chester é que ele emite as notas agudas com muito esforço chegando a grita-las, e isso é bastante irritante.

    Eu acho que minha opinião em relação ao Linkin Park dificilmente mudará, não gosto do som que é muito simples na parte instrumental, as intervenções do Dj me irritam bastante e o Rap e o Metal não casam bem de jeito nenhum.

    Entretanto em relação ao Korn, eu mudei minha opinião, agora eu aprecio melhor a banda e até gosto do Follow The Leader. Valeu pelo comentário.

    ResponderExcluir
  12. concordo com as criticas em relação ao Limp Bizkit e ao korn
    mais po cara, tenta deixar o seu gosto de lado,
    analise a tecnica musical dos caras
    saca!?
    po no caso do Chester Bennington do linkin
    o cara faz um vocal drive bacana, bem ragado sem fala na extenção vocal altissima cara
    vocal drive descente e meio raro de achar cara hj em dia
    o Corey, tbm faz uns guturais legais distorcidos porem de forma q de pra compriender
    o que esta sendo cantado, diferente de alguns guturais, como os de death q ninquem intende nada
    de tao destorcido q e
    e no caso do slipk de uma forma geral e uma banda muito boa
    os caras tem elementos de noise music, quebram bastate a harmonia, e sao bastante ritimados
    com ritimos complexos e quebrados, coisa bem difico de se fazer, q merece respeito pela
    inovação e criatividade
    o korn tbm tem elementos de noise principalmente nos primeiros albums
    cara estuda mais um pouco, nao so os generos mas tambem
    a musica em si, as tecnicas e suas aplicações dentro de cada generos
    q ae vc ira fazer uma criticas bem melhores
    tenta escuta mudvayne, principalmente o primeiro album e o mais tecnico dos caras

    ResponderExcluir
  13. Oi, Rock star, isso é impossível, não dá para ser imparcial em uma critica, pois se assim eu fosse nenhum uma crítica eu poderia fazer. Não concordo com essa visão de que a análise técnica é tão importante, afinal qual a diferença em conhecer a técnica por trás de uma pintura que não lhe agrada?

    Enfim, Chester é um vocalista muito ruim, ele realmente grita em quase todas as música, e olha que eu sou muito cauteloso com essa expressão(grito), mas no caso do Chester não tem jeito, é um dos vocalistas mais irritantes de todos. Tudo é absolutamente abaixo da crítica: timbre, a forma de projetar as notas mais altas, as interpretações.

    Poderia escrever um tratado do que acho do Linkin Park, mas vamos ao Corey, que realmente evolui bastante, como eu mesmo falo no texto, mas nos primeiros discos... Cara se você soubesse o quanto eu não gosto de Noise Music, como o nome mesmo entrega aquilo é uma barulheira infernal.

    Me lembro de ter ouvido 3 minutos do disco Metal Machine do Lou Reed, e ter desistido com medo de ficar surdo. Acho que agora descobri mais um motivo para eu não gostar dos primeiros discos do Slipknot.

    O Korn tem umas músicas bacanas, mas não me considero fã da banda. Eu tenho tanta coisa para ouvir que receio não ter tempo para o Mudvayne.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Também não acho que o vocal do Chester seja ruim. O vocal dele não é de black metal e sim de screamo

    Já sobre o Slipknot o seu primeiro álbum as vezes cansa mesmo, mas é porquê ele é um pouco de baixa fidelidade

    ResponderExcluir
  15. Eu acho o vocal do Chester bem irritante. Concordo em relação ao primeiro álbum do Slipknot.

    ResponderExcluir
  16. Já a questão de ser metal ou não, concordo com o Linkin Park e O Limp Bizkit, considero elas como rapcore. Já Korn na minha opinião é metal alternativo com influências do hip-hop.
    Já Slipknot tem tudo pra ser metal, desde o primeiro disco ao último disco.

    A mídia classificou certas bandas como new metal porquê o estilo delas era difícil de decifrar.

    ResponderExcluir
  17. Eu acho que você tem problemas mentais
    Chester pouca potencia vocal?
    Me mostra um vídeo da sua banda de sucesso.

    ResponderExcluir
  18. A cara,o drive do chester é perfeito

    ResponderExcluir
  19. o chester é otimo e o mike tbm .. se situa cara

    ResponderExcluir
  20. Realmente o vocal do Chester naum e Como antigamente. Ele desafina muito. E os screamo tao uma bosta. Melhor fase dele foi de 2000 ate 2010. Dali adiante o vocal dele ficou paia. .

    ResponderExcluir
  21. Você é bem patético, em falar do chester assim kkk, no começo ele não tinha potencia vocal ? Como ele conseguia berrar daquele jeito então panaca ? Com "A voz fina e doce de estilo pop dele " . Me poupe, quando é que o Linkin Park foi ruim ? Se situa na moral, você não entende nada do New Metal e concerteza do Metal, vai aprender mais sobre a banda antes de sair falando asneira.

    ResponderExcluir
  22. VOcê pode falar atualmente mal deles, mas os dois primeiros albúns foram ruins ? Você é um belo analfabeto musical do ramo metal não pode ser, e do new metal nem se fala.

    ResponderExcluir
  23. VOcê pode falar atualmente mal deles, mas os dois primeiros albúns foram ruins ? Você é um belo analfabeto musical do ramo metal não pode ser, e do new metal nem se fala.

    ResponderExcluir
  24. Chester não alcança nem uma oitava ? Se mata por favor, ele alcança 4,0 oitavas o que é raro para os homens e ainda mais cantores de rock e metal. Ele não tem potencia vocal ? Atualmente não tanta, mas e ao longo de sua carreira ? O cara alcança duas notas ao mesmo tempo, alcança notas agudas e e graves sbrincando, Drive ? Impecável, Screamos (Antigamente) ? Nunca vi melhores, você já viu alguém prolonga 17 segundos um grito potente e mudar o tom dele durante e execução ? Concerteza não né ? Tem algumas coisas que aceito da sua crítica, mas quando se fala asneiras e burríces deste jeito, você parece um analfabeto do Metal.

    ResponderExcluir
  25. apesar de ser fã de todas as bandas acima ,hoje slipknot e linkin paark são as melhores do genero .O linkin park n tem mto de metal possui um pouco de punk ouça a musica War(https://www.youtube.com/watch?v=dTgor60kaZk)e me fale o q achou.obg

    ResponderExcluir