30 de jan de 2013

1001 discos; I Never Loved A Man The Way I Love You (1967)


Artista: Aretha Franklin
Selo: Atlantic
Produção: Jerry Wexler
Nacionalidade: EUA
Duração: 32:51


1. Respect
2. Drown In My Own Tears
3. I Never Loved A Men The Way I Love You
4. Soul Serenade
5. Don't Let Me Lose This Dream
6. Baby, Baby, Baby
7. Dr. Feelgood (Love Is A Serious Business)
8. Good Times
9. Do Rigth Woman - Do Right Man
10. Save Me
11. A Change Is Gonna Come







Todo mundo apontava Aretha como a rainha do soul, embora seu caminho para o trono tenha sido cheio de obstáculos. Antes de assinar com a Atlantic, em 1966 ela passou seis anos - e nove discos - com a Columbia, que inibiu seu talento inato para o soul e a transformou numa cantora de standards de clubes de jazz.

Libertada dessas correntes por Jerry Wexler, da Atlantic, Franklin viajou para o Fame Studio, em Muscle Shoals, Alabama, em fevereiro de 1967. Mas o marido e empresário de Aretha, Ted White, teve um desentendimento com um dos integrantes da banda de apoio, composta só por brancos, quando apenas uma canção e meia estava gravada. As sessões foram rapidamente parar transferidas para os estúdios da Atlantic, em Nova York.

Aretha, que compôs quatro faixas e acompanhou-se ao piano no disco, resistiu a tendência dos artistas de blues de só cantarem músicas escritas e arranjadas pelos estúdios. Seu jeito de tocar piano foi comparado ao de Ray Charles e tornou-se a base em cima da qual todas as faixas foram construídas.

O disco abre com uma versão de "Respect", de Otis Redding, subvertida em um hino feminista. "A Change Is Gonna Come", um clássico de Sam Cooke sobre a luta pelos direitos civis, foi igualmente revista - a briga comprada pela própria Aretha. "Dr. Feelgood" mostra uma mulher incrivelmente segura, imbuída de uma sexualidade raramente ouvida antes numa artista negra.

Livre das amarras da Columbia, Aretha logo assumiu a realeza do soul tanto por sua poderosa expressão de sentimentos como pelo sentimento, em si, embutido nas canções. Ninguém ouve este disco extraordinário sem se emocionar.

Músicas Selecionadas

1.

3.

11.

Nenhum comentário:

Postar um comentário