22 de abr de 2011

Invisible Circles (2004)

Banda:After Forever
Estilo:Metal Sinfônico
País:Holanda
Lançamento:25 de março de 2004









Invisible Circles é o terceiro álbum do After Forever e o primeiro após a saída de Mark Jansen, (atualmente vocalista e guitarrista do Epica) e marca uma mudança de rumos na sonoridade da banda, que nesse álbum é mais influenciada pelo heavy metal clássico de bandas como Iron Maiden e Judas Priest o que a deixa com um som com uma característica mais pesadas sem deixar de lado a sonoridade melódica do metal sinfônico.

Invisible Circles é também um álbum conceitual e uma espécie de ópera metal que retrata a rotina de uma família em constantes brigas e acompanha a vida de uma criança abusada e seus pais desde a sua concepção até a idade adulta. O tema foi inspirado pela experiência do guitarrista Sander Gommans como professor de arte e seu constante contato com famílias desestruturadas e adolescentes problemáticos.

O disco começa com a faixa instrumental Childhood in Minor e sem nenhuma interrupção já vai pra segunda faixa, Beautiful Emptiness que já demonstra o clima meio ópera do disco. Aliás esse disco não tem interrupções entre as músicas o que reforça esse clima de metal ópera. Between Love and Fire é uma música que deixa sem fôlego. O vocal incrível da Floor Jansen e os guturais de Sander Gommans combinam perfeitamente com o clima pesado dessa música que é interrompida pela conversa de um casal e volta na hora certa para finalizar a música.

O álbum continua com Sins of Idealism que continua com o estilo pesado da música anterior. Eccentric é uma música mais leve, para contrastar um pouco com clima das músicas anteriores. Digital Deceit (minha favorita deste álbum) demonstra maestralmente o clima "metal ópera" desse cd. Combinando o som violinos, a voz da Floor, o coral e a melodia da música dá pra se sentir em uma ópera.

Depois de Digital Deceit, temos Through Square Eyes que tem um clima meio oriental no começo e depois pega um clima mais ópera. Blind Pain começa em um ritmo mais rápido, mais pesado e tem uma ênfase maior no vocal gutural em seu começo e depois entra num clima trágico (quando a Floor começa a cantar) que combina perfeitamente com a letra da música. E outra coisa interessante é a volta dos diálogos no fim da música, mas dessa vez parece que a filha do casal está observando tudo pois dá pra ouvir sua respiração ofegante na música e isso dá uma intensidade dramática à música, o que é muito legal.

O álbum continua com a música Two Sides; Victms of Choices, que retrata muito bem um dos assuntos principais do álbum: uma filha sofrendo pela briga de seus pais; Reflections que abre caminho para a conclusão do álbum que finaliza com Life's Vortex, uma música mais lenta que as anteriores porém também tem seus momentos asgressivos.

Esse álbum é um clássico do metal sinfônico. Com uma incrível Floor exalando confiança e técnica, o ótimo trabalho dos guitarristas e da banda como um todo fazem desse álbum realmente um clássico. Como eu fiz na resenha do Within Temptation, esse álbum do After também dá pra descrever em um termo , que aliás, foi o termo que o Rubens usou para descrever esse álbum em uma conversa que nós tivemos: agressividade melódica.

Faixas:

1."Childhood in Minor" (instrumental)-1:20
2."Beautiful Emptiness"-5:25
3."Between Love and Fire"-4:56
4."Sins of Idealism"-5:22
5."Eccentric"-4:10
6."Digital Deceit"-5:38
7."Through Square Eyes"-6:23
8."Blind Pain"-6:47
9."Two Sides"-4:34
10."Victim of Choices"-3:21
11."Reflections"-5:11
12."Life's Vortex"-5:53

(Todas as músicas foram compostas por After Forever, exceto "Childhood In Minor" de S. Gommans e "Eccentric" de L. Van Gils e F. Jansen. Todas as letras foram compostas por F. Jansen)

Nota:10,0 (sem mais comentários)

Nenhum comentário:

Postar um comentário