1 de fev de 2013

Melhores Álbuns de 2012 Parte 2 - (Arthur)

Faaaaaaaala manolada! Chegamos a segunda parte da minha listinha que precisaria de um rolo de papel higiênico para ser escrita por inteiro. Eu notei que a lista ta ficando um pouquinho grande... Parece mais a lista de "tudo que eu não achei ruim" do que a lista dos melhores, então depois que eu terminar essa lista eu vou TENTAR fazer um top com os 10~15+ pra ficar mais justo. Agora chega de papo e vamos aos discos:

Van Halen - A Different Kind Of Truth
Esse aí o Rubens que me lembrou, não sei como passei direto por ele enquanto fazia a primeira parte da lista! Eddie em sua melhor forma, largando a mão nos solos e deixando de lado aquele tecladinho tosco que eu detestava.
Nota: 9,0

Moonspell - Alpha Noir & Omega White
É... Eu acho que me precipitei em colocar o Testament no topo antes de escutar esse(s) cd(s) do Moonspell, que é uma das minhas bandas favoritas. 
Alpha Noir segue a linha pesadona que a banda aderiu a partir do álbum Memorial (2006), e Omega White já segue o estilo mais Dark/Gothic que a banda fazia na época de The Antidote (2003) e Darkness And Hope (2001). Ambos os discos são de altíssimo nível, a banda se mostra extremamente madura e nenhum dos dois cd's tem ponto baixos, sem dúvida um dos meus favoritos do ano.
Nota: 10

Kreator - Phantom Antichrist

Kreator foi a banda que me trouxe para belo mundo do Thrash, e esse álbum realmente me surpreendeu. Eu esperava por uma continuação do Hordes Of Chaos (2009) e Enemy Of God (2005) porém a banda fez o inesperado (pelo menos pra mim) e adicionou elementos mais melódicos, solos mais bem trabalhados e passagens acústicas, realmente me surpreenderam e só isso já os faz merecedores de entrar nessa lista.
Nota: 9,0

Bucketheadland - Racks / The Silent Picture Book / The Shores Of Molokai / March Of The Slunks
É eu quis juntar os 4 aqui, (o March Of The Slunks eu citei na primeira parte da lista) todos seguem a mesma linha de som então cheguei a conclusão de que só faz sentido eles entrarem nessa lista se forem juntos.
Nota: 8,5

Keith Merrow - Retrospecial
Keith Merrow é um dos mais criativos guitarristas de metal da atualidade, é muito reconhecido no underground devido a sua criatividade. Keith faz um Death/Prog instrumental extremamente épico, com riffs destruidores. Falando em riffs, esse é o seu ponto forte e é oque diferencia ele dos demais guitarristas. 
Retrospecial é incrível e conta com a participação de grandes nomes do metal moderno como Jeff Loomis (Ex- Nevermore), Ola Englund e Gord Olson (que entrou nessa lista junto com Keith Merrow ano passado através do Demisery). 
Recomendado pra quem gosta de uma guitarra de 7 cordas bem tocada.
Nota: 10 (Pra mim desbanca o Plains Of Oblivion do Jeff Loomis facilmente)

Kiko Loureiro - Sounds of Innocence
Graaaaaaaaaaaaaaaande Kiko! O guitarrista que mais me influenciou durante o ano de 2012. Sounds Of Innocence (pelo menos pra mim) é o melhor de seus trabalhos solo. Pesado, melódico e versátil, uma aula não de guitarra mas sim de música! Mostrando que pra fazer algo musicalmente belo não podem existir fronteiras ou preconceitos, misturando metal, samba, jazz, choro, bossa, funk, fusion e muito mais Kiko fez desse disco meu álbum favorito de musica instrumental, espero poder encontrá-lo algum dia pra pegar um autografo no meu songbook do No Gravity e agradecer por abrir minha mente como guitarrista.
Nota: 10

Storm Corrosion - Storm Corrosion
Finalmente um cd que eu já resenhei! Link da resenha
Nota: 10

Revocation - Teratogenesis (EP)
Revocation é um dos expoentes da cena Tech/Prog Death atual, com ótimos músicos a banda faz um som único, (eles apareceram na minha lista do ano passado com o foderoso Chaos Of Forms) Teratogenesis mostra um amadurecimento no som da banda, fazendo um som mais sério e extremo, o próximo full desses manolos promete muito.
Nota: 9,5

André Matos - The Turn of The Lights
Essa capa não é o spell de shock do Skyrim? André esta de volta kicking rabos! Depois do mediano Mentalize (2009), The Turn Of The Lights mostra porque o cara é tão respeitado no metal mundial, um cd avassalador digdin digdin digdin, pra mim o melhor trabalho do André desde o Reason (2005) do Shaman, pesado demais com o instrumental em outro nível e uma produção muito legal, com um som bem orgânico, em alguns momentos tive a impressão de estar com os ouvidos colados nos amplificadores das guitarras!
Nota: 9,0

Bem manolada esse é o fim da segunda parte, pelos meus cálculos a próxima será a última... Enquanto isso fiquem com um sonzinho z1k4 v1d4 l0k4 ae!

Um comentário:

  1. Pelo visto, o ano foi bom para você, eu só dei 10 para 3 discos e eu já contei que você deu sete notas 10.

    Van Halen quase entrou na minha lista e foi um dos melhores que eu ouvi no primeiro semestre (Patti Smith e o Borknagar roubaram sua vaga).

    O Kreator é outro que eu gostei bastante e quase entrou na lista, me surpreenderam pelo mesmo motivo que surpreenderam você.

    Gostei do disco do Andre Matos, mas não tanto assim.

    ResponderExcluir