8 de mar de 2011

To Hell With God (2011)

O que esperar de uma banda brutal e polemica igual ao Deicide? eu esperava somente um disco violentíssimo, mas ganhei muito mais que isso escutando o até então melhor disco de Death Metal do ano.

Este petardo estava programado para 2009, mas a burocracia e outros problemas adiaram a sua estreia, mas enfim o que importa e que esse é um disco que serve para você dar para o seu amigo que acha que Death Metal e só barulheira, e convenhamos para que você quer ser amigo de alguém assim?  O novo disco do Deicide está carregado com o que chamamos de Feeling e o peso Old-School que marcaram o Deicide como uma das maiores bandas de Death Metal da historia.


O Disco

Eu decidi abandonar o meu vicio pelo metal melódico por um tempo e escutar um pouco do sempre agressivo e pesado Death Metal, e ainda aproveitar para escrever um resenha sobre o disco em questão.  O disco abre com a matadora faixa-titulo To Hell With God que possui um refrão marcante, que você se pegará cantando após algumas audições.  As próximas faixas do disco mostram um Death Metal Brutal, mas extremamente técnico e cheio de Feeling que impressiona como nas faixas Empowered By Blasphemer, a faixa-titulo, Hang In Agony Until You're Dead e na excepcional How Can You Call Yourself a God.

Mas não se engane pois toda essa técnica não tira o peso e a brutalidade do disco que Glen Benton e sua trupe empregam no som  como pode ser percebido em Save Your e Angels Of Hell, alias o vocal de Glen continua extremamente brutal e blasfemo o que vai acabar virando um atrativo para os fãs da brutalidade do estilo.  A bateria soa bem pesada empregando a técnica Blast Beats constantemente e sendo acompanhada por riffs furiosos de guitarra.

Eu gostei muito desse novo disco do Deicide e creio que com ele eles possam novamente voltar como uma das maiores bandas do genero, mas ficou muito obvio nesse disco que o Deicide se rendeu ao estilo tecnico e veloz de bandas como: Nile, Behemoth e o nosso Krisiun.  Os solos e momentos cadencidados tornam a música mais versatil e menos enjoativa para o ouvinte, mostrando para os posers que eles podem fazer mais do que apenas "barulheira"

No mais o disco e para aqueles que gostam quando brutalidade e técnica se aliam no mesmo disco, nesse caso o Deicide se saiu muito bem.

Nota: 9  *********

2 comentários:

  1. Só não concordei com a nota(merecia 8),mas a resenha tah legal.Baixa esse álbum: http://totaldeathcore.blogspot.com/2008/09/pergamum-feel-lifes-fear-2008.html

    e ouve,é mais fodão q esse do Deicide.

    ResponderExcluir
  2. A nota foi um presente pois estava um bom tempo sem ouvir meu metal extremo, e curtir bastante esse lançamento, eu já ouvi falar desse Pergamum, mas nunca me interessei talvez eu até goste. e valeu pelo comentário

    ResponderExcluir